Em comunicado, a STCP esclarece hoje que, depois de dois anos de interregno devido à pandemia da covid-19, as festividades de São João contam com uma “operação especial”, que estará em curso entre a noite de quinta-feira (véspera de feriado) e a manhã de sexta-feira (dia 24 de junho), para garantir “um acesso rápido, seguro e cómodo” aos principais locais de animação na cidade.

Na zona da baixa, a STCP prevê um “reforço nos principais eixos de chegada”, bem como um aumento de frequência e utilização de viaturas com maior capacidade, “garantindo uma mobilidade eficaz de e para todos os concelhos onde opera”, nomeadamente, Porto, Vila Nova de Gaia, Gondomar, Maia, Matosinhos e Valongo.

Os constrangimentos de trânsito na zona do Aliados, da Cordoaria e da Ribeira, vão obrigar a desvios nos términos das viagens para locais próximos dessas zonas, esclarece a operadora, acrescentando que as paragens localizadas na Cordoaria, Praça da Liberdade, Aliados, São Bento, Batalha, D. João I, Carmo e na parte final da Avenida da República (Gaia) estão desativadas.

A STCP afirma ainda que algumas linhas não irão operar no período noturno e madrugada, como as linhas 900P e 900G que passam nas zonas ribeirinhas e que irão terminar o serviço mais cedo, sugerindo, por isso algumas alternativas.

Em alternativa à linha 500, a STCP recomenda a utilização da linha 200 e 1M, ou, se for a partir de Matosinhos, a linha 502. Já as linhas 904 e 11M podem ser substituídas pelas linhas 901 e 906, a partir de Vila Nova de Gaia. Já a partir do Porto, a alternativa pode ser feita através da linha Amarela do Metro.

Também a Metro do Porto vai reforçar a operação no âmbito das festividades de São João a partir das 20:00 de dia 23, véspera do feriado, estando ainda condicionada a operação entre o Porto e Gaia.

Quanto ao serviço da STCP, as linhas 200 e 1M vão ter uma frequência de 30 minutos durante toda a noite e madrugada, com paragem na Rua da Restauração, junto ao Hospital de Santo António. Também a linha 602 vai ter uma frequência de 30 em 30 minutos até à 01:00, podendo o regresso ser feito pela linha 3M, com partida na Trindade. Já as linhas 501, 507, 601, 12M e 13M efetuam o habitual serviço noturno ou de madrugada.

Com término na Trindade, a linha 600 vai ter uma frequência de perto de 12 minutos até à 01:00, no sentido Aliados, e a linha 4M com frequência de 15 minutos até à Ponte da Pedra, e de 30 minutos até à Maia, até cerca das 02:30, sendo que após essa hora, mantém-se apenas a frequência de meia em meia hora até à Maia. Por sua vez, a linha 3M vai ter uma frequência de 30 minutos até ao Araújo, e de uma hora até ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, até cerca das 03:00, sendo que após essa hora, só se mantém a frequência de uma em uma hora até ao aeroporto.

Já na Rua do Bolhão, as linhas 701 e 702 vão ter uma frequência combinada de 15 minutos até à 01:00, à semelhança da linha 5M, durante a madrugada.

Também com término no Bolhão, mas na Rua da Firmeza, as linhas 305, 401 e 700 vão efetuar o habitual serviço. A linha 7M terá uma oferta de 40 em 40 minutos durante toda a madrugada e as linhas 800 e 801 vão ter uma frequência combinada de 15 minutos até à 01:00, sendo que a partir dessa hora, permanece a linha 800 com partidas alternadas com a linha 8M a cada 30 minutos.

Por sua vez, a linha 400 vai manter a habitual frequência, com término na Alexandre Herculano, à semelhança das linhas 901, 904, 905 e 906, ainda que apenas enquanto se mantiverem as condições de circulação na Ponte do Infante, sendo que após constrangimentos, passam a efetuar a paragem junto à Câmara de Vila Nova de Gaia.

Do mesmo modo, a linha 905 terá uma frequência de 40 minutos entre o Monte da Virgem e a Câmara de Gaia, e a articulação com a linha 907 possibilita uma oferta de 15 em 15 minutos entre o Monte da Virgem e Santo Ovídeo. Por sua vez, a linha 907 será reforçada, estando também previsto o serviço noturno entre o Gaia Shopping e Vila D’Este. Já a linha 10M terá uma frequência de 20 minutos até às 02:00, sendo que após essa hora passa a 40 minutos entre a autarquia e Vila D’Este.

As festividades do São João, no Porto, regressam, de 23 para 24 de junho, “descentralizadas” por três palcos da cidade e com o fogo de artifício a ser lançado a partir do rio Douro, anunciou o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

O habitual palco na Avenida dos Aliados será, este ano, substituído por três palcos: um na praça do Rossio nos Jardins do Palácio de Cristal, outro no Largo Amor de Perdição (na zona da Cordoaria) e por último, um na praça da Casa da Música.

Rui Moreira salientou que a “pressão” na Avenida dos Aliados era “muito grande” e que, neste momento, com as obras do metropolitano em curso, não existem “condições para fazer um grande concerto”.

No dia 23 de junho, sobem ao palco do Palácio de Cristal, pelas 20:00, Romana, Saul e Marante. Já pelas 22:00, no Largo Amor de Perdição, os foliões são Toy e José Malhoa e pelas 23:30, na praça da Casa da Música, é a vez de Chico da Tina.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.