A vala foi encontrada este último sábado, durante a construção de uma barragem na região de Sarbani, centro de Khost, informou o autarca local, Bismillah Bilal. “Segundo os primeiros dados, estas pessoas foram enterradas aqui depois de terem sido executadas, em 1358”, ano do calendário afegão que corresponde ao período entre abril de 1979 e março de 1980, explicou à AFP.

“Foram descobertos pelo menos 100 corpos", acrescentou Bilal, ressalvando que alguns deles estavam com roupas femininas e que todos eram civis.

Moradores indicaram que os restos mortais são de vítimas da violência que resultou do golpe de Estado comunista apoiado pelos soviéticos em 1978. “Em 1358, essas pessoas foram trazidas para aqui de forma implacável e selvagem pelas autoridades comunistas cruéis, sem julgamento”, disse Salam Sharifi, cidadão cujo pai desapareceu durante o governo comunista sem deixar rasto.

Um comité foi designado para transportar os corpos, que foram retirados da vala por funcionários municipais, com a ajuda de moradores. “Ninguém sabe quem são estes mártires”, disse o morador Manadir Mangal.

Diversas valas comuns foram descobertas no Afeganistão após décadas de conflito, incluindo a invasão soviética de 1979, a guerra civil que se seguiu e a ocupação dos Estados Unidos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.