"O relatório, infelizmente, não traz nada de novo e de conclusivo em relação ao que aconteceu em particular e em concreto em Tancos para ter havido o furto do material. Continuamos a exigir explicações, no parlamento continuaremos a pedi-las", afirmou Assunção Cristas.

A líder do CDS-PP, que falava em Castelo Branco, à margem da quinta sessão da iniciativa "Ouvir Portugal - Portugal visto de dentro", explicou que durante várias audições foi perguntado se havia falta de recursos para garantir a segurança das instalações, mas até ao momento não houve uma "resposta clara e inequívoca".

"Agora volto a dizer, depois daquilo que se vê, ao longo de tantos meses a preparar um relatório, que finalmente chega, que é do conhecimento público, que traz uma mão cheia de nada, o que se pode dizer é que este Governo e este ministro [da defesa] não têm mostrado condições para liderar esta área e para agora nos darem uma explicação clara", disse.

Asssunção Cristas sublinhou que continua "um grande ponto de interrogação" sobre o assunto e adiantou que as explicações dadas não são suficientes, pelo que o CDS-PP irá continuar a exigi-las no Parlamento.

"Queremos saber a verdade em relação a esta matéria e ela, infelizmente, ainda não chegou ao parlamento", sustentou.

Para a líder do CDS-PP, não basta dizer que mudaram ou que fecharam os paióis de Tancos.

"É preciso explicar o que é que aconteceu, porque só sabendo rigorosamente o que é que aconteceu, é que podemos garantir que estamos a fazer tudo o que está ao nosso alcance para que não torne a acontecer", concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.