Francisco Figueiredo, dirigente da Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (FESAHT), disse à agência Lusa que os trabalhadores do setor vão estar “em luta pela reposição de direitos que lhes foram retirados com o argumento da pandemia e por melhores salários".

A quinzena começa no Porto com uma concentração junto à delegação da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte, para exigir a intervenção daquela entidade fiscalizadora.

“Na ACT do norte foram entregues 231 pedidos de intervenção contra ilegalidades laborais, mas só tivemos resposta a 26 deles”, explicou Francisco Figueiredo.

Segundo o sindicalista, milhares de trabalhadores do setor da hotelaria e restauração, por todo o país, “têm sido vítimas de empresas que se estão a aproveitar da pandemia para lhes retirar direitos e rendimento”.

Salários em atraso, situações de 'lay-off' ilegais e férias forçadas são algumas das denúncias feitas pela estrutura sindical.

Para hoje está também marcada uma greve na cantina do hospital de Faro e plenários nas cantinas dos hospitais de Coimbra e no Bingo de Setúbal.

Ao longo da semana vão realizar-se outras ações de luta nas cantinas escolares e junto a vários hotéis.

“O objetivo de tudo isto é também denunciar o que se passa neste setor, onde existem trabalhadores que não recebem salário há quatro meses e não têm qualquer apoio”, disse Francisco Figueiredo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.