De acordo com uma nota publicada no portal da Presidência da República na Internet, o primeiro-ministro, António Costa, propôs hoje ao chefe de Estado estas nomeações, que foram aceites por Marcelo Rebelo de Sousa.

Outra mudança no Ministério das Finanças é a promoção de António Mendonça Mendes, atual secretário de Estado a "número dois" da equipa, como secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais.

António Mendonça Mendes é o único membro da equipa do ministro cessante Mário Centeno que se mantém como secretário de Estado.

Saem Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado Adjunto e das Finanças, e Álvaro Novo, secretário de Estado do Tesouro.

Os novos secretários de Estado tomarão posse na segunda-feira, juntamente com o novo ministro de Estado e das Finanças, João Leão. O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, irá dar posse aos governantes pelas 10:00, no Palácio de Belém, em Lisboa, "numa cerimónia restrita e sem outros convidados, dadas as atuais regras de saúde pública".

Esta é a primeira remodelação do XXII Governo, o segundo chefiado por António Costa, e foi desencadeada pela saída de Mário Centeno do cargo de ministro de Estado e das Finanças, a seu pedido, anunciada na terça-feira.

O XXII Governo Constitucional, um executivo minoritário composto por 19 ministros e 50 secretários de Estado, tomou posse no dia 26 de outubro de 2019, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, na sequência da vitória do PS nas eleições legislativas de 6 de outubro, sem maioria absoluta.

Conheça a nova equipa das Finanças.

António Mendonça Mendes na Comissão de Orçamento e Finanças
créditos: Lusa

António Mendonça Mendes sobe a “número dois” no Ministério das Finanças

António Mendonça Mendes, líder da federação de Setúbal do PS, passa a ser o "número dois" da equipa das Finanças liderada por João Leão, assumindo as funções de secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais.

Advogado, natural de Coimbra, António Mendonça Mendes é secretário de Estado dos Assuntos Fiscais desde julho de 2017 e passa agora também a ser adjunto do novo ministro das Finanças, João Leão, que substitui Mário Centeno.

Ricardo Mourinho Félix, também da Federação de Setúbal do PS, tinha sido até agora o secretário de Estado Adjunto e das Finanças.

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra e irmão da atual presidente do Grupo Parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, António Mendonça Mendes lidera no plano partidário a federação de Setúbal, uma das mais importantes dos socialistas a nível nacional.

Na sua carreira profissional, desempenhou funções de assessor no Ministério da Justiça no segundo executivo liderado por António Guterres e foi advogado na Gonçalves Pereira, Rato, Ling, Vong & Cunha e na Região Administrativa Especial de Macau (2003-2005).

Nos governos de José Sócrates, António Mendonça Mendes desempenhou os cargos de chefe do gabinete da secretária de Estado dos Transportes (2005-2008), Ana Paula Vitorino, e da ministra da Saúde, Ana Jorge (2009/2011), tendo sido ainda advogado do grupo empresarial Geocapital (2008-2009).

Mais recentemente, o novo secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais foi diretor na Refer (Rede Ferroviária Nacional),com responsabilidades nas áreas de capital humano, assuntos jurídicos e organização (2011-2013), e foi advogado e sócio da André, Miranda e Associados - Sociedade de Advogados, em Lisboa (2014-2017).

António Mendonça Mendes desempenhou ainda os cargos de presidente da Comissão de Conciliação do Contrato de Exploração Ferroviária do Eixo Norte-Sul (2009) e de membro designado pela Assembleia da República no Conselho Superior de Julgados de Paz (desde 2015).

Cláudia Joaquim, um regresso ao executivo 

Natural de Torres Vedras, Cláudia Joaquim foi secretária de Estado da Segurança Social no XXI Governo Constitucional (2015/2019), num ministério liderado por Vieira da Silva e num executivo chefiado por António Costa.

Licenciada pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), pós-graduada em Contabilidade, Finanças Públicas e Gestão Orçamental pelo IDEFE/ISEG, e mestre em Políticas Públicas pelo ISCTE-IUL, Cláudia Joaquim tem desempenhado as funções de vogal da mesa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Entre janeiro de 2014 a outubro de 2015 foi assessora parlamentar dos deputados do PS da Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública, tendo exercido, entre 2010 e 2012, o cargo de subdiretora geral do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério da Solidariedade e Segurança Social.

Técnica Superior do Instituto da Segurança Social desde 2001, Claudia Joaquim é coautora do texto "O programa de assistência económica e financeira e as pensões", publicado em 2014, no âmbito do Fórum de Políticas Públicas do ISCTE.

João Nuno Mendes, negociador da ajuda à TAP

O novo secretário de Estado das Finanças, natural de Coimbra, liderava desde maio as negociações da ajuda de Estado ao Grupo TAP.

No seu percurso político, destaca-se o exercício das funções de secretário de Estado do Planeamento entre 1999 e 2002 no XIV Governo da República. Neste segundo Governo liderado por António Guterres, João Nuno Mendes assumiu responsabilidades no domínio do terceiro quadro comunitário de apoio.

Licenciado em gestão pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, onde foi assistente, o novo secretário de Estado das Finanças iniciou a sua atividade profissional na área de auditoria na empresa Arthur Andersen, onde esteve de 1994 a 1996. Depois, foi assessor económico do gabinete do primeiro-ministro, António Guterres, entre 1996 e 1999.

Entre 2002 e 2007 desempenhou funções de administrador com a área financeira em unidades de negócio do Grupo Amorim, designadamente na Amorim Imobiliária e na Amorim Turismo, foi diretor de áreas de desenvolvimento e atividades internacionais da Galp Energia de 2007 a 2016, e desempenhou funções como presidente do Conselho de Administração do Grupo Águas de Portugal entre 2016 e 2019.

Miguel Cruz, o único sem experiência governativa 

O novo secretário de Estado do Tesouro é natural de Lisboa e é o único membro da equipa de João Leão sem qualquer experiência no exercício de funções governativas.

Doutorado em Economia pela London Business School, licenciado e mestre em gestão pela Universidade Católica Portuguesa, Miguel Cruz foi presidente dos conselhos de Administração da PARPÚBLICA - Participações Públicas SGPS, do Circuito do Estoril SA, e da Sagesecur - Sociedade de Estudos, Desenvolvimento e Participação em Projetos, S.A.

Segundo a nota biográfica divulgada pelo Governo, Miguel Cruz é embaixador em Portugal para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS das Nações Unidas/Global Compact Portugal.

Foi presidente do Conselho Diretivo do IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação - entre 2014 e 2017, e presidente dos conselhos de Administração da ADI, Centro para o Desenvolvimento e Inovação Tecnológicos, S.A., para além de vice-presidente da SPGM - Sociedade de Investimento, S.A.

Miguel Cruz é desde 1989 professor convidado em diversas instituições de Ensino Superior, em particular na Universidade Católica Portuguesa e na Universidade Autónoma de Lisboa, onde é professor auxiliar convidado.

(Notícia atualizada às 18h32)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.