“A partir da próxima semana, a minha administração compromete-se a fornecer uma ajuda adicional de 13 mil milhões de dólares […] para ajudar os agricultores a recuperar deste vírus da China”, disse o Presidente norte-americano, que culpa Pequim pelo novo coronavírus, detetado no final de dezembro na cidade chinesa de Wuhan.

O anúncio foi feito durante um comício na cidade de Mosinee, no estado do Wisconsin, onde os democratas ganharam todas as eleições presidenciais entre 1988 e 2016, ano em que Trump venceu a candidata democrata Hillary Clinton.

Esta é a segunda concessão económica que o Governo norte-americano faz aos agricultores, considerados os eleitores mais leais a Trump, para minorar os efeitos da epidemia.

Em abril, o Departamento de Agricultura dos EUA apresentou um pacote de 19 mil milhões de dólares (16 mil milhões de euros) para apoiar o setor agrícola, atingido pela recessão económica.

Antes mesmo de a pandemia chegar ao país, o setor agrícola norte-americano já sofria com o impacto da guerra comercial com a China, depois de Pequim ter imposto tarifas aduaneiras a produtos importados dos EUA, como soja e carne de porco.

Em março, Trump concedeu outro pacote de ajuda de 23,5 mil milhões de dólares (perto de 20 mil milhões de euros) para apoiar os agricultores na guerra comercial com a China.

Donald Trump é candidato às eleições presidenciais de 03 de novembro, e vai enfrentar o democrata Joe Biden.

Os Estados Unidos são o país com mais casos confirmados de covid-19 e mais mortes provocadas pela doença no mundo.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 943.086 mortos e mais de 30 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.