“O que se passa na fronteira [entre os EUA e o México], onde ele separa as crianças dos seus pais, é um sinal de que ele já não é o líder moral do seu país ou do planeta”, declarou Thorbjørn Jagland, a propósito de Donald Trump, à cadeia norueguesa TV2, na sua deslocação a Moscovo.

“Tudo o que ele faz exclui-o do papel que os presidentes americanos sempre tiveram”, disse, acrescentando que Donald Trump “já não pode falar em nome daquilo que chamamos o mundo livre”.

A separação de crianças dos pais, indocumentados, e cuja maioria foge da violência na América Central, tem gerado polémica nos Estados Unidos e desencadeou uma chuva de críticas sobre o Presidente norte-americano.

Questionado sobre a saída dos EUA do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, anunciado esta terça-feira, Jagland afirmou que tal “não foi inesperado”.

“Isto não é mais do que um exemplo de que ele não quer tratados internacionais nem organizações internacionais baseadas na cooperação”, considerou.

Os Estados Unidos anunciaram na terça-feira que vão sair do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, que acusam de “hipocrisia” e preconceito contra Israel.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.