“Espero que cheguemos a um acordo para que os migrantes asilados na Turquia não acreditem que a fronteira com a UE está aberta e que não tentem transpô-la exercendo uma pressão massiva”, declarou o Alto Representante da UE para a Política Externa, durante uma conferência de imprensa em Bruxelas.

Segundo Borrell, a ideia de que as portas da União estão abertas aos migrantes e refugiados que se encontram na Turquia, muitos dos quais oriundos da Síria, “não é uma solução para ninguém, nem para eles, nem para as relações com a Turquia, nem para a busca de soluções estruturais e permanentes para o que continua a ser um grande problema sobre o qual a Turquia e a Europa devem cooperar”.

As declarações do chefe de diplomacia da UE tiveram lugar poucas horas antes de uma reunião, em Bruxelas, entre Erdogan e os presidentes da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do Conselho Europeu, Charles Michel.

Milhares de migrantes tentam atravessar a fronteira entre a Turquia e a Grécia desde que o presidente turco anunciou, em 29 de fevereiro, que havia deixado de respeitar um acordo de março de 2016 com a UE, no qual se previa a permanência de migrantes na Turquia, em troca de apoio financeiro europeu a Ancara.

A UE tem rejeitado vigorosamente o que classifica como uma “chantagem” de Erdogan, tendo na sexta-feira os chefes da diplomacia da UE, reunidos em Zagreb, deplorado o “uso político de migrantes” e pedido a Ancara que não quebrasse os compromissos no acolhimento de refugiados.

Ainda antes da reunião com Von der Leyen e Charles Michel, prevista para o final da tarde, o Presidente turco vai encontrar-se em Bruxelas com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, estando prevista uma conferência de imprensa no final desse encontro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.