Numa entrevista publicada hoje pelo diário italiano La Republicca, Ceferin argumentou que não quer voltar atrás, mas que tem uma posição mais conservadora nesta matéria.

“O árbitro deveria permanecer o juiz, caso contrário é como se fosse um ‘robot’ a tomar as decisões” justificou Ceferin, relativamente à introdução do VAR no campeonato do Mundo.

O International Board (IFAB), órgão que garante as leis do jogo deverá anunciar em março se autoriza a utilização do vídeoárbitro no Mundial 2018.

O sistema está a ser testado esta época em algumas ligas europeias, como é o caso dos campeonatos português, italiano e alemão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.