Chris Parker, de 33 anos, declarou-se culpado de dois crimes de roubo e um de fraude no tribunal da coroa de Manchester, na quarta-feira. Em resposta, o juiz indicou uma pena de prisão.

Segundo o jornal The Guardian, Chris Parker roubou a carteira de Pauline Healey, uma das pessoas que ficou gravemente ferida, e utilizou o seu cartão bancário num restaurante da cadeia McDonald’s nos dias seguintes. O sem-abrigo admitiu ainda ter roubado o telemóvel de uma adolescente.

Parker devia ter sido julgado na terça-feira, mas não compareceu no tribunal. Este terá sido informado de que Parker não tinha sido visto desde o Natal, altura em que recebeu alta do hospital de Calderdale em West Yorkshire. Todavia, a polícia encontrou-o, no dia 3 de janeiro, num loft em Halifax.

De acordo com o jornal britânico, em tribunal, foram partilhadas imagens das câmaras de videovigilância em que se vê Parker na arena, após a explosão da bomba, a circular junto das vítimas. Nestas é possível constatar furto a Pauline Healey, enquanto a polícia e os paramédicos estavam a ajudar outras vítimas.

Na altura do atentado, Chris Parker ajudou várias pessoas, algumas delas feridas, a fugir do local. A sensibilidade do sem-abrigo gerou uma onda de solidariedade, que levou à angariação de quase 60 mil euros. Além disso, Parker reencontrou ainda a sua mãe, que o reconheceu na televisão.

Dia 30 de janeiro o tribunal dita a sentença de Chris Parker.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.