“Essas informações são reveladoras de quão sinuoso é o caminho que o país ainda tem pela frente, numa altura em que acaba de ser assinalado o 31.º aniversário da Convenção dos Direitos da Criança”, refere a organização, numa nota de imprensa enviada hoje à comunicação social.

Segundo o documento, 99% das crianças vítimas de violação sexual são raparigas e o maior número de casos foi registado nas províncias de Maputo e Gaza, no sul, e Nampula, no norte do país.

A ONG apela ao país para que encontre estratégias para descobrir as “causas primárias da violência contra a criança”, referindo que isso passa pela consolidação e implementação “sem contemplações” da legislação para a sua proteção, além da sensibilização e educação contínuas da sociedade.

“É indispensável que neste processo a participação e a voz da criança não sejam um dado adquirido, mas constituam um objetivo concreto a ser obrigatoriamente alcançado”, acrescenta a nota.

A World Vision Moçambique apontou ainda que os níveis de violência contra a criança, com destaque para violação sexual, aumentaram com a pandemia de covid-19, em Gaza, Zambézia, Tete e Nampula, segundo resultados de um inquérito realizado naquelas províncias.

“Mais do que nunca, este é o momento em que devemos colocar a proteção dos direitos da criança no centro do roteiro político global para uma melhor reconstrução”, conclui.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.