Em comunicado, a GNR explicou que os dois suspeitos foram constituídos arguidos na sexta-feira, pelos crimes de furto, burla informática, falsificação de documentos e abuso de confiança.

No âmbito de uma investigação que decorria há cerca de 13 meses, os militares da GNR desenvolveram várias diligências policiais que permitiram apurar que os suspeitos furtaram os cerca de 150 mil euros à vítima.

No decurso da ação, foram apreendidos eletrodomésticos, mobiliário, equipamentos de telecomunicações e centenas de documentos.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Viseu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.