“É uma obra que é uma mistura de tudo, que reflete as peripécias de uma carreira de cirurgião cardíaco totalmente dedicado ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), com algumas histórias que possam também servir de entretenimento para os leitores”, disse hoje o autor à agência Lusa.

O livro “não é mais do que um resumo de vida”, acrescentou Manuel Antunes, salientando que dedicou um capítulo ao SNS, em que revê “situações anteriormente defendidas, adaptadas à atual situação”.

Nas 244 páginas de “Uma Vida com o Coração nas Mãos”, o autor dedica também um capítulo “com especial interesse” às histórias da transplantação com doentes, “o antes e depois, e as peripécias que se passam até se chegar a um transplante”, e outro ao processo da sua vinda da África do Sul, onde se especializou, para Coimbra.

“Não é propriamente um livro de memórias, que teria de ser ainda mais desenvolvido e para o qual não encontrei motivação. Trata-se apenas do relato de uma vida por quem a viveu sempre com muita vontade e intensidade, temperada com dedicação e paixão, certamente com muitas faltas pelo caminho, ainda que, geralmente, com a preocupação de a orientar para o serviço dos outros”, sintetizou.

Para o cientista Carlos Fiolhais, de Coimbra, autor do posfácio, o livro de Manuel Antunes “é um documento imprescindível não apenas para conhecer o seu notável percurso pessoal e profissional, mas também para conhecermos melhor a história do nosso país na segunda metade do século XX nas primeiras décadas do atual”.

Nascido em Leiria, Manuel Antunes especializou-se e doutorou-se em cirurgia cardiotorácica na África do Sul, onde foi diretor de serviço durante 13 anos e meio, vindo depois para Coimbra, em 21 de março de 1988, por convite, para chefiar o Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Foi também professor universitário de medicina na Universidade de Coimbra.

Até se aposentar e jubilar, em julho de 2018, por ter atingido o limite de idade (70 anos) para funções públicas, o cirurgião dedicou o seu percurso profissional exclusivamente ao SNS, liderando um serviço com um corpo clínico em regime de dedicação exclusiva e sem lista de espera.

O serviço afirmou-se sobretudo nas áreas da transplantação cardíaca e da reparação da válvula mitral, e foi responsável, desde logo, pela eliminação da lista de espera para cirurgia cardíaca e torácica existente no Centro do país.

Em cerca de 30 anos, Manuel Antunes liderou uma equipa responsável por 45.000 cirurgias cardíacas e pulmonares, 358 transplantes cardíacos, num serviço classificado pelo Ministério da Saúde como Centro de Referência, reconhecido nacional e internacionalmente.

O livro “Uma vida com o coração nas mãos” é apresentado na quarta-feira, no Centro de Congressos do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, pelas 18:30, por Nascimento Costa, antigo presidente do conselho de administração daquela unidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.