"Vamos continuar a rumba até a hora que vocês quiserem!", gritou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enquanto a orquesta Gran Combo de Porto Rico tocava no palácio de governo na festa dos seus 54 anos. Maduro celebrou seu aniversário com a apresentação, no Palácio de Miraflores, de artistas nacionais e estrangeiros, como é o caso da famosa orquesta porto-riquenha e também do espanhol Jas Devael. "Tremenda surpresa!", afirmou o governante socialista, depois de dançar com a primeira-dama, Cilia Flores, a peça "Me liberé", interpretada pelo Gran Combo diante das câmaras da emissora estatal VTV.

Os membros da banda, entre outros artistas internacionais, estão na Venezuela para participar no festival "Suena Caracas", que começa amanhã e decorre até sábado da próxima semana, 3 de dezembro. O festival tem um orçamento de 2 milhões de dólares, confirmou o presidente da câmara de Caracas, Jorge Rodríguez.

A quantia despertou críticas da oposição. "Não se consegue muitos remédios (...), mas sim há dólares para concertos. Bem claras as prioridades", escreveu no Twitter o ex-candidato presidencial Henrique Capriles. Amante da música, Maduro apresenta desde 1 de novembro um programa de rádio de salsa, duramente atacado pela oposição. "É como uma piada", criticou Capriles.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.