“Vamos recuperar a Casa Branca”, disse Trump perante mais de nove mil apoiantes, num comício em Manchester, New Hampshire, no noroeste dos Estados Unidos, na segunda-feira à noite, na sua penúltima iniciativa da campanha eleitoral.

O candidato à Casa Branca pelo Partido Republicano percorreu na segunda-feira, último dia de campanha, cinco estados do país: Florida, Carolina do Norte, Pensilvânia, New Hampshire e Michigan.

Trump chega ao dia das votações atrás da candidata pelo Partido Democrata, Hillary Clinton, nas sondagens, mas a diferença média entre os dois é inferior a três pontos percentuais.

“Peço o voto de todos os norte-americanos. Democratas, independentes (…) que sintam a desesperada necessidade de uma mudança”, afirmou o milionário.

“A partir de amanhã [hoje] voltaremos a fazer grandes os EUA”, acrescentou, referindo mais uma vez um dos seus lemas de campanha.

Foi em New Hampshire que Trump ganhou as primeiras primárias, em fevereiro deste ano, no início da corrida eleitoral que o levou a ser nomeado candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos.

Neste comício, onde inicialmente previa fechar a campanha, Trump voltou a atacar Hillary Clinton, que disse ser “a pessoa mais corrupta” que alguma vez se candidatou à Casa Branca e que afirmou “ter sido protegida por um sistema completamente arranjado”.

Durante a campanha, Trump admitiu a possibilidade de não vir a reconhecer os resultados das eleições de hoje.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.