Segundo comunicado emitido pelo Kremlin, o Presidente russo afirmou hoje na primeira conversa telefónica com o seu homólogo norte-americano, Joe Biden, que uma “normalização” das relações bilaterais é desejável para os interesses dos dois países, mas também “de toda a comunidade internacional, dada a responsabilidade especial (dos dois Estados) em manter a segurança e estabilidade no mundo”

O comunicado refere ainda que hoje os dois países trocaram documentação tendo em vista a extensão do acordo Novo START, o único atualmente existente entre os dois países para controlo de arsenais nucleares.

“Nos próximos dias, as duas partes irão concluir os procedimentos necessários para assegurar o contínuo funcionamento” do pacto, que expira a 5 de fevereiro, refere ainda o Kremlin.

Na chamada, solicitada por Putin na semana passada, Biden defendeu que os dois países devem concluir uma extensão por cinco anos do New START, segundo disseram à AP duas fontes da Administração norte-americana.

O New START foi assinado em 2010 entre o ex-Presidente norte-americano Barack Obama e o ex-Presidente russo Dimitri Medvedev, limitando o arsenal de cada país a 1.550 ogivas nucleares e 700 mísseis balísticos e bombardeiros, contemplando ainda medidas de controlo rigorosas para verificar o cumprimento.

Na chamada, Biden divergiu da postura mais complacente do seu antecessor, Donald Trump, em relação à Rússia, procurando aumentar a pressão sobre Putin, mas também preservar espaço para a diplomacia entre os dois países, segundo as fontes ouvidas pela AP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.