7 de outubro de 1952: nasce numa família operária da periferia de Leninegrado, atual São Petersburgo.

1998: nomeado à frente do FSB, os serviços russos encarregados da segurança internar (antiga KGB).

1999: primeiro-ministro de Boris Yeltsin, ordenou a entrada das tropas russas na Tchetchénia contra os separatistas. Em abril de 2009, Moscovo anunciaria o fim da "operação antiterrorista".

2000: eleito presidente na primeira volta. Reeleito em 2004.

2008: por não poder exercer mais de dois mandatos consecutivos, Vladimir Putin cede o Kremlin ao seu primeiro-ministro Dmitri Medvedev

2012: volta a ser eleito presidente na primeira volta para um mandato de seis anos. A eleição foi marcada por manifestações inéditas da oposição.

2013: anuncia o seu divórcio de Liudmila, sua esposa desde 1983, com quem teve duas filhas.

2014: anexação da península ucraniana da Crimeia depois da ocupação por parte das tropas russas e um referendo considerado ilegal pela comunidade internacional.

2015: dá o seu apoio militar ao regime do presidente sírio Bashar Al Assad.

6 de dezembro de 2017: anuncia a sua candidatura às eleições de 2018, com o objetivo de obter um quarto mandato presidencial.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.