“Ao longo dos próximos anos, devemos reduzir o pessoal de forma socialmente responsável, tirando partido, tanto quanto possível, dos regimes de reforma parcial e de pré-reforma”, declarou o diretor de recursos humanos, Gunnar Kilian, citado em comunicado, após uma reunião de pessoal na sede da Volkswagen, em Wolfsburg.

O objetivo é reduzir em 20% os custos salariais, excluindo atividade de produção, acrescentou.

“Não estamos a falar de uma redução de 20% do pessoal”, acrescentou, sem precisar o número de postos de trabalho que podem vir a ser eliminados.

“É evidente que no futuro devemos trabalhar com menos pessoal em vários domínios da Volkswagen”, acrescentou um outro dirigente da Volkswagen, Thomas Schäfer.

Em novembro, Schäfer já tinha alertado para as dificuldades a enfrentar.

“A situação é muito crítica. Muitos mercados estão sob pressão, as nossas encomendas, em particular de viaturas elétricas, são inferiores ao esperado”, afirmou nessa altura.

“Com as estruturas existentes e os nossos custos elevados, já não somos competitivos”, acrescentou, apelando aos sindicatos para que aceitem medidas relativas a “pessoal” aplicáveis a partir do próximo ano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.