“Agora, ouvimos anúncios da Rússia sobre retirada de tropas, mas ainda não vimos sinais de redução das tensões no terreno, pelo contrário, vemos que continuam a aumentar. Precisamos de atos para confiarmos nas palavras”, disse Von der Leyen, numa declaração à imprensa antes de uma reunião com o primeiro-ministro da República Checa, Petr Fiala.

“Não iremos baixar a guarda, iremos continuar vigilantes e unidos”, garantiu.

Na crise entre a Rússia e a Ucrânia, a líder do executivo comunitário reiterou que “a via da diplomacia não está esgotada”, salientando ainda ter esperança num resultado pacífico.

Os chefes de Estado e de Governo dos 27 Estados-membros da UE realizam hoje um encontro informal em Bruxelas, antes da cimeira com a União Africana (UA), para discutir os “mais recentes desenvolvimentos” na crise entre a Rússia e a Ucrânia, marcados nomeadamente pelos anúncios de retirada de tropas por parte de Moscovo.

Hoje de manhã, a Rússia declarou que continua a retirar as suas forças militares na Crimeia, península ucraniana anexada em 2014 por Moscovo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.