Integrados numa ação conjunta convocada em mais de cinquenta cidades de todo o país por parte de organizações a favor dos direitos dos imigrantes e direitos civis, cerca de duas mil pessoas manifestaram-se na capital norte-americana reclamando direitos para os imigrantes.

Após uma dura e agressiva campanha eleitoral, em que Donald Trump ameaçou com medidas de deportação em massa, as associações que lutam para defender os indocumentados uniram-se para reivindicar o seu papel na sociedade norte-americana a menos de uma semana da tomada de posse.

“Estamos aqui para proteger os imigrantes e as suas comunidades que tanto contribuem para este país. Não vamos permitir que o medo, o racismo e a intimidação triunfem”, disse Gustavo Torres, diretor executivo da organização Casa de Maryland.

Entre as principais reivindicações de hoje está a de proteger de deportação os jovens indocumentados, conhecidos como “sonhadores”, caso Donald Trump reverta as medidas postas em vigor pelo ainda Presidente Barack Obama para evitar que aqueles fossem devolvidos aos seus países, concedendo-lhes permissão para trabalharem.

O programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (DACA) abrange mais de meio milhão de jovens imigrantes que chegaram quando crianças aos Estados Unidos, possibilitando-lhes estabilidade assim como às respetivas famílias.

É o caso de Mónica Camacho, uma jovem indocumentada que chegou aos Estados Unidos em 2002, com apenas sete anos, vinda do México e que hoje se juntou ao protesto para deixar claro que apesar do medo vai continuar a lutar.

“Este é o nosso lugar. Como imigrantes damos muito para este país. Os nossos pais trouxeram-nos muito pequenos e este é também o país dos nossos pais”, disse Mónica Camacho, ctada pela agência Efe.

A comunidade “tem medo, está assustada, mas isso não nos fará parar”, frisou.

A cofundadora da organização United We Dream (Juntos Sonhamos), Cristina Jiménez, disse estar “orgulhosa” de que pessoas de “consciência e compaixão” no país apoiem a DACA e com ela famílias como a sua e a de “milhões de imigrantes e refugiados que Donald Trump prometeu expulsar”.

“Juntos prepararemos as nossas comunidades a oporem-se a agenda de ódio, e ganharemos”, frisou.

Sob o lema “Estamos aqui para ficar”, os manifestantes marcharam desde a Igreja Metropolitana da capital norte-americana até à Casa Branca.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.