"Tenho que aceitar a minha responsabilidade e o meu fracasso", disse Villas-Boas, depois da derrota na final da Taça da China, perdida domingo face ao Shanghai Shenhua, após uma vitória caseira por 3-2, que não retificou o 0-1 sofrido fora.

O técnico luso assume que o contrataram para conquistar provas e que, com o desaire na Taça da china, depois do segundo lugar no campeonato e da eliminação nas meais-finais da Liga dos Campeões asiática, esse objetivo não foi conseguido.

“A nossa ambição era ganhar troféus e não conseguimos fazê-lo”, reconheceu André-Villas Boas, adiantando, porém, que se ganhou algo em relação ao futuro: “A equipa está numa posição muito melhor agora para ganhar títulos”.

O ex-treinador do FC Porto recusou-se a dizer se vai continuar na próxima época a treinar o Shanghai SIPG, mas deixou claro que “o clube já conhece” a sua decisão, que será tornada pública “em breve”.

De acordo com a imprensa chinesa, o treinador de 40 anos, que chegou ao Shanghai SIPG em novembro de 2016, pretendia ganhar pelo menos um troféu este ano.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.