Num vídeo publicado nas redes sociais em que agradece "o apoio de toda a gente e os milhares de mensagens", Félix da Costa disse que foi "um recomeço de sonho", mas frisou que "nada está decidido", apesar de ter 68 pontos de vantagem sobre o segundo classificado do Mundial, a quatro corridas do fim.

“Levamos uma vantagem boa no campeonato, mas a mentalidade não vai mudar, nada está decidido. Vamos continuar ao ataque, tentar marcar o maior número de pontos possível", frisou o piloto de 28 anos, que foi o último português a estar a um passo de entrar na Fórmula 1.

O piloto de Cascais tem, agora, 68 pontos de vantagem sobre os segundos classificados, o brasileiro Lucas di Grassi (Audi) e o belga Stoffel Vandoorne (Mercedes), e pode sagrar-se campeão já no sábado.

Para isso, precisa de alargar a vantagem para os 90 pontos, já que, em cada corrida, um piloto pode fazer o máximo de 30 pontos (25 pela vitória na corrida, três pela ‘pole position', um pela primeira fase dos treinos e um pela volta mais rápida em corrida).

"A abordagem será um pouco diferente da de anos anteriores. Vamos continuar agressivos e a querer ganhar corridas. Estamos aqui a trabalhar e amanhã (sábado) há mais", concluiu.

Depois da paragem devido à pandemia de covid-19, o campeonato de Fórmula E reiniciou-se no aeroporto de Tempelhof, em Berlim, com as derradeiras seis corridas.

Duas delas já se disputaram e a vitória em ambas sorriu ao português, que espera, agora, maior equilíbrio pois os pilotos "já conhecem melhor a pista".

Neste momento, ainda há seis pilotos que matematicamente estão na luta pelo título.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.