José Ramalho, que conquistou seis títulos europeus, os últimos cinco consecutivamente, foi obrigado a parar duas vezes durante a prova, para remendar a embarcação, terminando a prova a 13,59 segundos do vencedor, o sul-africano Andrew Birkett, que cumpriu os 29,8 quilómetros da prova, em 02:09.29,06 horas.

Mesmo com este azar e sem que tivesse percebido a causa, Ramalho, vice-campeão do mundo em 2012 e medalha de bronze em 2009, 2014 e 2016, conseguiu, a volta e meia do fim, juntar-se ao grupo da frente.

O canoísta luso culminava a recuperação desde a 27.ª posição, e a mais de 500 metros de atraso, mas acabou por ‘perder’ o trio da frente na saída da última portagem e fechar o segundo grupo perseguidor.

Birkett gastou menos 1,79 segundos do que o húngaro Adrián Boros, segundo classificado, e menos 3,98 do que o seu compatriota Jasper Mock, terceiro. Seguiram-se o francês Quentin Urban, a 11,60, e o dinamarquês Mads Pedersen, a 12,15.

“O José Ramalho não abandona a prova para se poupar para a competição K2, no domingo, porque é um campeão e está habituado a dar sempre o máximo. Não merecia este infortúnio, mas é um grande homem e quer dar o melhor por si, pelos seus e por Portugal”, disse o selecionador Rui Câncio, em declarações à Lusa, após a segunda paragem do vila-condense, de cerca de um minuto.

Enquanto Ramalho revelava impaciência por pegar no caiaque e voltava para a para a água, os homens na Nelo, a marca portuguesa que é a maior construtora internacional de caiaques de competição, tentavam minorar o problema com adesivo, enquanto ao lado a esposa do atleta era puro desalento, em incontroláveis lágrimas.

Ramalho saiu da segunda paragem em 27.º e, com o apoio de milhares de espetadores nas margens do rio Cávado, terminaria no sexto lugar, enquanto Alfredo Faria, que o ajudou em determinada parte da recuperação, foi 13.º a 2.59,56 minutos.

No domingo, às 14:30, José Ramalho junta-se ao sub-23 Ricardo Carvalho na prova de K2, enquanto Alfredo Faria vai competir com Miguel Rodrigues, também do escalão inferior.

Em K1 feminino, Joana Sousa e Maria Cabrita desistiram da prova de 26,2 quilómetros.

Portugal tem, para já, uma medalha de ouro, conquistada na sexta-feira por Sérgio Maciel em C1 sub-23.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.