“O Benfica recebeu hoje a decisão proferida pela Câmara de Resolução de Disputas da FIFA no processo que envolve o despedimento com invocação de justa causa do seu ex-atleta Bilal Ould-Chikh. Por não se conformar com a decisão proferida, requereu de imediato os fundamentos da mesma com vista a interpor recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) de Lausana”, revelou o clube.

A FIFA condenou a formação portuguesa a pagar 3,5 milhões de euros a Bilal Ould-Chick, com quem rescindiu, unilateralmente, em 2017, evocando justa causa.

“O Benfica mantém a convicção de que o despedimento do referido atleta se justificou face ao comportamento desportivo e social deveras censurável e, como tal, é legalmente sustentável, não deixando, por isso, de reclamar a devida indemnização junto do Tribunal Arbitral do Desporto de Lausana”, justificam os ‘encarnados.

O futebolista holandês de origem marroquina chegou a Portugal na época 2015/16 para integrar a equipa B do Benfica, a qual representou em 12 jogos.

Após a rescisão com o Benfica, rumou aos holandeses do Utrecht, sendo que atualmente o futebolista de 21 anos está sem clube.

Representou as seleções jovens da Holanda nos escalões sub-15, sub-17 e sub-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.