Nesta final, a jovem canoísta bateu a húngara Olga Bakó por 1,3 segundos e a bielorrussa Alina Neumiarzhytskaya por 1,523, segunda e terceira classificadas, respetivamente.

“Estamos muito orgulhosos do título mundial da Maria Rei, mais um sinal de confiança no futuro da canoagem portuguesa. A Maria Rei é uma atleta com muita qualidade e este ano já integrou a equipa sénior treinada por Hélio Lucas. Parabéns ao clube Saavedra Guedes e ao seu treinador António Monteiro”, disse à agência Lusa o presidente da federação, Vítor Félix.

O dirigente revelou ainda que a júnior vai fazer o K1 500 no mundial sénior, que vai decorrer em agosto em Montemor-o-Velho.

Este é o terceiro título mundial da história da canoagem júnior portuguesa, depois de Emanuel Silva em 2003, em Komatsu, Japão, e de Joana Vasconcelos em 2009, em Moscovo, ambos em K1 500, distância olímpica, o que agora não se verifica.

Contabilizando apenas os monolugares, em seniores, Portugal tem ainda o título mundial de Fernando Pimenta em K1 5.000 em 2017, na República Checa, e de Tiago Tavares o ouro mundial sub-23 em C1 200, em Minsk. Em 2013, Emanuel Silva e João Ribeiro foram campeões mundiais em K2 500.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.