O adiamento dos Jogos foi benéfico para a preparação ou foi mais um momento de ansiedade?

Em nada foi benéfico na preparação, por toda a componente física mas também psicológica que envolveu.

Ao longo deste ciclo paralímpico, quando é que pensou: este é momento do “tudo ou nada”?

Se calhar na última prova que tivemos de qualificação, em 2019, na Póvoa de Varzim. Foi aí que ficámos a saber que íamos aos Jogos, foi um dos momentos decisivos. A partida para Tóquio, a 14 de agosto, foi outro dos momentos do tudo ou nada!

BI Paralímpico

Carla Oliveira

Modalidade: Boccia

Prova: Individual BC4 e Pares BC4

Idade: 32 anos

Naturalidade: Vila Nova de Gaia

Clube: FC Porto

Treinador: Luís Ferreira

Participações: Tóquio2020 será a segunda experiência para a atleta dos azuis e brancos. Do Rio2016 trouxe um diploma paralímpico. Carla Oliveira, que padece de distrofia muscular das cinturas, tem como melhores marcas a medalha de ouro em pares BC4, no Campeonato da Europa 2017, a prata em pares BC3, no Campeonato da Europa 2019.

Factos & Curiosidades: Portugal qualificou 10 atletas (o número máximo) para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 na modalidade de boccia.

O boccia é uma modalidade praticada por atletas com deficiência motora - paralisia cerebral em cadeira de rodas ou doenças neuromusculares -, podendo ser disputado individualmente, em pares ou por equipas de três elementos, sem divisão por sexos.

É um desporto de precisão, em que são arremessadas bolas, seis de couro azul e seis vermelhas, com o objetivo de as colocar o mais perto possível de uma bola branca chamada “jack”, ou “bola alvo”.

Na modalidade, designada pelas iniciais BC, os atletas são divididos em quatro classes, numeradas de 1 a 4. As classes 1 e 2 são destinadas a atletas que jogam com a mão ou com o pé, sendo que na primeira os jogadores podem competir com auxílio de um assistente.

A classe 3 agrupa os atletas com características funcionais mais limitadas e os jogadores utilizam dispositivos auxiliares, como calhas, capacetes com ponteiros e são ajudados por um acompanhante.

A classe 4 junta os praticantes que sofrem de doenças neuromusculares, mas que são totalmente autónomos relativamente à funcionalidade exigida pelo jogo.

Em Tóquio, o par BC4 será composto por Carla Oliveira, Manuel Cruz e Nuno Guerreiro. Ana Sofia Costa, Avelino Andrade e José Carlos Macedo vão representar Portugal nos jogos na categoria BC3. André Ramos, António Marques, Cristina Gonçalves, Abílio Valente e Nelson Fernandes vão formar a equipa BC1/BC2.

Qual o pior momento na preparação?

No ano passado, quando tivemos a notícia de que não ia haver Jogos e a quase anulação de um sonho.

Qual a maior dificuldade que espera encontrar em Tóquio?

A incerteza, dado que não sei como é que os adversários estão porque já não temos competição há quase dois anos. E também a minha própria performance porque não sou testada ao nível competitivo há mais de um ano e um atleta faz-se muito de competição. Sem ela é difícil sabermos em que nível estamos.

Qual a coisa mais inusitada que leva na bagagem para o Japão?

A máquina de café, levamos sempre para as competições porque precisamos desse aditivo.

Quais são os objetivos em termos de resultados/marcas?

É difícil responder, o objetivo é sempre dar o melhor e tentar-me superar em relação àquilo que eu acho que são as minhas capacidades.

Que memória tem dos primeiros Jogos a que assistiu?

Que memórias! A cerimónia de abertura do Rio 2016, foi um sentimento muito marcante, com a ovação e o carinho que recebemos do povo brasileiro. Também a questão da quantidade de pessoas que estavam a assistir ao Boccia, até fizeram a onda na bancada! É uma energia que não é normal para nós, não a costumamos ter nos nossos campeonatos.

Quem é o melhor atleta paralímpico de sempre na sua modalidade?

Acho que é o José Carlos Macedo pela quantidade de Jogos em que já participou e a quantidade de medalhas paralímpicas conquistadas (6).

Se ganhar uma medalha, a quem a vai dedicar?

A Deus e a todas as pessoas ligadas à minha carreira desportiva, à minha família e colegas de equipa, aos portugueses. Mas especialmente a Ele.

________

O adiamento, o "tudo ou nada" e os principais objetivos. Rumo aos Jogos Paralímpicos, que se realizam de 24 de agosto a 5 de setembro, desafiámos alguns dos atletas lusos a responder a um Questionário Paralímpico. Portugal estará representado em Tóquio por 33 atletas. Acompanhe todas as notícias, destaques e resultados no SAPO24

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.