Em comunicado, a CBF dá nota desta intenção, visando ataques a “jogadores, adeptos e ao presidente, Ednaldo Rodrigues”, seguindo-se à denúncia apresentada pelo avançado Rodrygo, do Real Madrid.

As queixas do jogador levaram ao poio manifestado por Neymar e por Vinícius Jr, seu colega no Real e uma das vozes mais ativas contra o racismo no futebol.

Ednaldo Rodrigues, por seu lado, é o primeiro presidente negro da federação que lidera os destinos da seleção cinco vezes campeã do mundo.

“Vamos tomar todas as medidas necessárias a cada ataque, sem tréguas”, insistiu aquele organismo.

A derrota de terça-feira foi a terceira no apuramento para o Mundial2026 e constitui um muito raro desaire caseiro, tendo ainda sido marcado por confrontos nas bancadas do Maracanã, levando ao adiamento do arranque da partida em meia hora.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.