Elisabete Jacinto terminou a tirada com um tempo de 3:55.56 horas, numa especial que foi cronometrada ao longo de 419,37 quilómetros, com uma vantagem de 14.20 minutos sobre o belga Igor Bouwens (Iveco), segundo classificado.

O dia começou com um problema mecânico, que forçou a equipa de Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho a parar, mas a recuperação permitiu-lhes vencer a categoria de camiões e terminar em sétimo lugar da geral.

“Esta etapa era complicada em termos de navegação, porque era muito ampla, tinha poucas referências no horizonte para nos guiarmos”, explicou Elisabete Jacinto, citada pela sua assessoria de imprensa, destacando os oito minutos perdidos na falha mecânica e a boa navegação para conseguir “acabar bem” e seguir “no caminho certo, com um bom ritmo”.

Na classificação geral da sua classe, a vantagem da portuguesa é agora de uma hora e 40 minutos para o belga Noel Essers (MAN), antes de se cumprir um dia de descanso, no domingo, e das etapas na Mauritânia, a partir de segunda-feira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.