"Em Paris, perdi a oportunidade de me tornar o melhor técnico do mundo", confessou o técnico basco, campeão da Ligue 1, de dois campeonatos de França e de taças da Liga nas suas duas temporadas ao serviço do clube francês.

No mesmo período, despediu-se nos oitavos de final da Liga dos Campeões, sempre frente a espanhóis: em 2017 contra o Barcelona e um ano depois contra o Real Madrid.

"No primeiro ano, nos oitavos contra o Barcelona, fizemos um primeiro jogo de alto nível (4-0). No jogo de volta, fomos eliminados porque o VAR ainda não existia (6-1). Fomos claramente eliminados por decisões da arbitragem", afirmou o ex-treinador do Sevilha.

"No segundo ano, contra o Real Madrid, perdemos para uma equipa que conquistou uma tripla histórica", acrescentou ele, se referindo às três Champions consecutivas conquistadas pelo clube merengue (2015/16, 2016/17 e 2017/18).

Emery confessou que, para convencer Neymar a assinar com o PSG, lhe disse que "uma equipa seria construída em torno dele (...). Se não, ele não teria vindo".

Sobre a sua recente experiência fracassada no Arsenal, Emery afirmou que os "Gunners" eram "um clube em declínio dois anos antes" da sua chegada. "Reduzimos essa queda naquele outono e começámos a acertar a equipa com uma final da Liga Europa e um quinto lugar na Premier, a apenas um ponto do Tottenham".

O treinador apontou a perda dos seus quatro capitães, Laurent Koscielny, Petr Cech, Aaron Ramsey e Nacho Monreal como explicação para o início discreto da temporada 2019-2020 que lhe custou o lugar em novembro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.