O poste de 26 anos anunciou a intenção na sexta-feira, após a vitória por 119-112 frente aos Los Angeles Lakers, para a Liga norte-americana de basquetebol (NBA), e o clube confirmou que o jogador turco não vai viajar para Londres, para o embate marcado para 17 de janeiro, por problemas com o visto.

Segundo disse Kanter, não pode viajar porque “há uma hipótese de ser assassinado”. “Infelizmente, não vou por causa daquele lunático, o presidente turco”, atirou.

Segundo o atleta, a intenção de “ajudar a equipa a ganhar” esbarra no receio de “um homem lunático, maníaco, um ditador”, mantendo as críticas que tem feito a Erdogan ao longo dos últimos anos, incluindo ter-lhe chamado “o Hitler do século XXI”.

O passaporte turco de Kanter foi revogado em 2017, altura em que foi emitido um mandado internacional para a sua detenção, e o basquetebolista diz que seria um alvo “fácil” em Londres, onde há “muitos espiões”.

O pai, Mehmet, foi acusado em 2018 de pertencer a grupo terrorista, na sequência do golpe militar falhado de 2016, mesmo que este já se tenha afastado das crenças do filho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.