Num local pouco habitual, a sala da direção do clube leonino, a conferência de imprensa, convocada depois de um dia de rescisões e decisões judiciais, começou minutos depois da hora marcada, 20h30, devido a alguns problemas técnicos. Bruno de Carvalho (BdC) justificou o local dizendo que, aquela hora, acontecia um Conselho Leonino no auditório Artur Agostinho, onde as últimas conferência têm sido realizadas.

O presidente do clube começou por tecer alguns comentários relativos ao que foi dito no dia de hoje pela imprensa, lamentando que a troca de  mensagens com Ruben Ribeiro — que partilhou no Facebook — não tenha sido abordada pelos media. Relativamente às rescisões hoje anunciadas pela imprensa, que confirma, Bruno de Carvalho disse que tentou falar com o pai de Rafael Leão mas que "outros valores falaram mais alto".

Bruno de Carvalho confirma nove rescisões no Sporting
Bruno de Carvalho confirma nove rescisões no Sporting
Ver artigo

"É uma tristeza, está ser incutido aos sportinguistas um espírito de angústia que não é justo. Tudo tem um fundamento. Não é a Academia, não são os sonhos... chama-se dinheiro e controlo da SAD. Ponto", disse Bruno de Carvalho referindo-se ao clima vivido no clube nas últimas semanas. "Para os jogadores estarem a fazer isto, altos valores se devem levantar", continuou. "Que eu saiba ainda ninguém assinou por clube nenhum" e "não chegou uma única carta ao Sporting a dizer 'se se for embora, eu volto", acrescentou, justificando assim a sua premissa.

No total, já nove jogadores rescindiram com o clube, nomeadamente, Rodrigo Battaglia, Rafael Leão, Rúben Ribeiro, Bas Dost, Gelson Martins, William Carvalho, Bruno Fernandes, Rui Patrício e Daniel Podence.

"Não nos demitimos, não assumimos que Comissão de Fiscalização tenha alguma legalidade, nem que Jaime Marta Soares seja presidente de mesa alguma, que não é", afirmou ainda.

Já sobre o braço de ferro entre o Conselho Diretivo e a Mesa da Assembleia Geral (MAG), liderada por Jaime Marta Soares, Bruno de Carvalho disse que a Comissão de Fiscalização nomeada pela MAG  — que ontem suspendeu com efeitos imediatos o Conselho Diretivo a que Bruno de Carvalho preside — o expulsou de sócio.

"O que a Comissão fez foi expulsar-me de sócio, a mim e aos meus colegas", disse. "Espero que os associados tenham a noção de que algo que era transitório, e que nem legal é, nos expulsou de sócios", acrescentou. "Isto não é um assalto, é qualquer coisa de inenarrável", considerou.

Dirigindo-se aos jornalistas, BdC explicou que o local onde se encontravam é da SAD, e "não do Sporting".

Ainda sobre a Mesa da Assembleia Geral, Bruno de Carvalho reiterou que a atual direção não reconhece os demissionários e suas decisões, todavia anunciou que vai disponibilizar meios para a realização da Assembleia Geral de 23 de junho que visa votar a destituição do Conselho Diretivo.

"Não reconhecemos Jaime Marta Soares, não reconhecemos esta sua Comissão de Fiscalização, não reconhecemos a forma como foi convocada a Assembleia Geral de 23 [de junho]. Saibam que fomos expulsos de sócios e não podemos participar na mesma, mas vamos disponibilizar aos associados os serviços e vamos permitir que aquele que nós consideramos ex-presidente da Mesa venha amanhã [sexta-feira] aos serviços conferir todas as formalidades, conferir todos os votos que diz que tem, e nós aos sportinguista conferirmos meios necessários para que essa Assembleia Geral [de 23 de junho], esse julgamento em praça pública em que nós não vamos poder estar, decorra. (...) Fazemos isto em nome dos sportinguistas", justificou.

Apelando à união e participação maciça dos sportinguista, BdC disse que: "Vamos aos sportinguista fornecer as pessoas para a AG, vamos pagar, não vamos estar presentes porque eles nos expulsaram de sócios". Todavia, "se a destituição não for declarada, vamos cobrar até ao último cêntimo o que for gasto na Assembleia Geral a Jaime Marta Soares", anunciou. "[Apenas exigimos que] em que cada urna esteja um elemento indicado por nós para acompanhar a contagem", disse ainda.

Dirigindo-se, desta vez, aos sportinguistas, Bruno de Carvalho coloca nas suas mãos a continuidade: "Agora está nas vossas mãos, dia 23 venham massivamente e escolham se querem quem sempre defendeu o Sporting Clube de Portugal".

Depois de esclarecer que ainda hoje revelará o conteúdo da troca de mensagens com Rafael Leão, Bruno de Carvalho respondeu ainda às questões dos jornalistas presentes, reiterando por diversas vezes as mensagens anteriormente frisadas.

A conferência de imprensa, com lugar na sala da direção, foi agendada pouco depois de a TVI24 ter anunciado que também Rafael Leão rescindiu com o clube de Alvalade, totalizando neste momento nove os jogadores que quebraram laços com o clube (Rafael Leão, Rúben Ribeiro, Rodrigo Battaglia, Rui Patrício, Daniel Podence, William de Carvalho, Rúben Fernandes, Bas Dost e Gelson Martins.

Estas rescisões acontecem no dia em que o Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa considerou ilegal a comissão transitória da Mesa da Assembleia Geral (MAG), nomeada pelo Conselho Diretivo do Sporting, bem como as reuniões magnas marcadas para 17 de junho e 21 de julho.

A decisão do Tribunal, por sua vez, tem lugar um dia depois da Comissão de Fiscalização designada pela Mesa de Assembleia Geral do Sporting, liderada por Jaime Marta Soares, ter suspendido preventivamente o Conselho Diretivo do Sporting, liderado por Bruno de Carvalho, uma decisão com efeitos imediatos, mas que o presidente do clube se recusou a reconhecer, já que contesta a legitimidade do organismo que a pronunciou.

O braço de ferro na direção é a face mais visível, a par das rescisões de jogadores, da crise que o clube de Alvalade atravessa.

A crise no Sporting teve origem na perda do segundo lugar do campeonato, na última jornada, para o Benfica, e acentuou-se dias depois, em 15 de maio, quando cerca de 40 pessoas encapuzadas invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, e agrediram alguns futebolistas e elementos da equipa técnica, com as autoridades a deter 27 dos alegados atacantes, que ficaram em prisão preventiva.

Na sequência destes incidentes, os futebolistas Rui Patrício e Daniel Podence apresentaram a rescisão por justa causa, em 01 de junho; o treinador Jorge Jesus rescindiu por mútuo acordo para assinar pelos árabes do Al Hilal, e esta segunda-feira, 11 de junho, mais quatro jogadores rescindiram unilateralmente (William de Carvalho, Rúben Fernandes, Bas Dost e Gelson Martins), além da saída do diretor clínico, Frederico Varandas. Rúben Ribeiro, Rodrigo Battaglia e Rafael Leão juntam-se agora à lista.

Paralelamente à crise desportiva, no âmbito de uma investigação do Ministério Público sobre alegados atos de tentativa de viciação de resultados em jogos de andebol e futebol, tendo como objetivo o favorecimento do Sporting, foram constituídos sete arguidos, incluindo o ‘team manager’ do clube, André Geraldes.

Perante estes acontecimentos, a maioria dos membros da Mesa da Assembleia Geral (MAG), liderada por Jaime Marta Soares, e do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) e parte da Direção apresentaram a sua demissão, defendendo que o presidente Bruno de Carvalho não tinha condições para permanecer no cargo.

Após duas reuniões dos órgãos sociais, o presidente demissionário da MAG, Jaime Marta Soares, marcou uma Assembleia Geral para votar a destituição do Conselho Diretivo (CD), para 23 de junho e criou uma Comissão de Fiscalização para evitar o vazio provocado pela demissão da maioria dos elementos do CFD — comissão esta que avançou ontem com a suspensão de Bruno de Carvalho e o Conselho Diretivo que lidera.

Por outro lado, o Conselho Diretivo do Sporting decidiu substituir a MAG demissionária e respetivo presidente através da criação de uma Comissão Transitória da MAG, que, por sua vez, convocou uma Assembleia Geral Ordinária para o dia 17 de junho, para aprovação do Orçamento da época 2018/19, análise da situação do clube e para esclarecimento aos sócios, e convocou uma Assembleia Geral Eleitoral para a MAG e para o CFD para o dia 21 de julho. Estas Assembleias Gerais foram agora invalidadas pelo Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.