“Estamos determinados em compreender totalmente o que aconteceu fora e dentro do Estádio de Wembley na final da Euro2020”, refere em comunicado a FA, reportando-se aos desacatos que começaram com a entrada forçada no recinto de adeptos sem bilhete.

A FA pretende que a investigação, com base em imagens recolhidas pela polícia no local, apure responsabilidades e que “a lição seja aprendida”, para que “as cenas vergonhosas” registadas em Wembley nunca mais se repitam.

A Itália conquistou o seu segundo título de campeã europeia de futebol, 53 anos depois, sucedendo a Portugal, ao bater a anfitriã Inglaterra por 3-2, no desempate por grandes penalidades, após 1-1 no fim dos 120 minutos.

Para além dos confrontos físicos antes, durante e depois do jogo, também os jogadores ingleses Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka, que falharam as grandes penalidades, foram posteriormente vítimas de abusos raciais nas redes sociais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.