Integrada ao longo da corrida no grupo das primeiras e sempre atenta às movimentações da equipa neerlandesa, a principal favorita, Maria Martins, já autora de um quarto lugar no scratch do ciclismo de pista, discutiu o ‘sprint’ final, que lhe deu o sexto lugar com o mesmo tempo da vencedora, a neerlandesa Lorena Wiebes, em 2:59.20 horas.

As italianas Elisa Bálsamo, campeã do mundo, e Rachele Barbieri foram as medalhas de prata e de bronze, respetivamente.

Este é o melhor resultado de um português na prova de fundo de um Europeu de ciclismo, repetindo o sexto posto de Rui Costa em 2016.

A segunda edição dos campeonatos Europeus multidesportos está a decorrer em Munique até domingo e reúne nove modalidades, estando Portugal representado em sete, nomeadamente atletismo, canoagem, ciclismo, ginástica artística, remo, ténis de mesa e triatlo.

Portugal soma sete medalhas, designadamente três de ouro, através de Pedro Pablo Pichardo, no triplo salto, de Iúri Leitão, no scratch do ciclismo de pista, e de Kevin Santos (K1 200), uma de prata, por Auriol Dongmo, no lançamento do peso, e uma de prata (K1 1000) e uma de bronze (K1 500) do canoísta Fernando Pimenta. Na paracanoagem, Norberto Mourão garantiu o bronze na classe VL2.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.