Carlos Sainz, de 27 anos, segue no terceiro lugar do campeonato, após o segundo lugar no Bahrain, o terceiro na Arábia Saudita e a desistência na Austrália, com 33 pontos, a 38 do monegasco e seu companheiro de equipa Charles Leclerc.

“A escuderia Ferrari tem o prazer de anunciar que prolongou o seu acordo com Carlos Sainz. O espanhol, que se estreou na equipa de Maranello na temporada de 2021, vai fazer parte da equipa até final de 2024”, lê-se no comunicado da formação italiana.

O espanhol, cujo contrato terminava no fim do ano, mostrou-se “muito contente” pela renovação do contrato, após uma temporada “sólida e construtiva”, na qual alcançou a sua melhor classificação de sempre, o quinto posto, superando os dois sextos lugares obtidos ao serviço da McLaren, em 2019 e 2020.

“Sempre disse que não há melhor equipa de Fórmula 1 para correr e, depois de mais de um ano com eles, posso confirmar que conduzir este monolugar e representar esta equipa é único e incomparável”, vincou o madrileno, filho do bicampeão mundial de ralis e atual piloto de todo-o-terreno Carlos Sainz.

Sainz, que se estreou na categoria rainha do automobilismo de velocidade em 2015, na Toro Rosso, seguindo depois para a Renault, a meio de 2017, ainda procura a primeira vitória da carreira, contando um total de oito pódios — três segundos lugares e cinco terceiros.

“Agora, estou impaciente para voltar ao carro, para dar o melhor de mim à Ferrari e para dar aos seus fãs muitas alegrias. O F1-75 está a demonstrar ser um carro de primeira linha, que pode permitir-me perseguir os meus objetivos em pista, começando por conseguir a minha primeira vitória”, referiu.

O diretor-geral da Ferrari, Mattia Binotto, justificou a renovação do contrato com o espanhol com a “confirmação do talento esperado” e com a obtenção de “resultados impressionantes e o aproveitamento ao máximo de todas as oportunidades”.

“Disse várias vezes que creio que temos a melhor dupla de pilotos da Fórmula 1 e, por isso, a cada corrida que passa, parece-me um passo completamente natural prolongar o contrato do Carlos, assegurando assim a estabilidade e continuidade”, referiu Binotto.

Após três das 23 corridas previstas do Mundial de Fórmula 1, Leclerc lidera a classificação de pilotos com 71 pontos, mais 34 do que britânico George Russell (Mercedes).

O também britânico Lewis Hamilton (Mercedes), sete vezes campeão do mundo, e o neerlandês Max Verstappen (Red Bull), detentor do título, seguem nos quinto e sexto lugares, com 28 e 25, respetivamente.

A próxima prova do campeonato está marcada para domingo, com o Grande Prémio da Emilia Romagna, em Imola, em Itália.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.