A provocação dizia "quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica" e foi cantado durante todo o encontro disputado na passada quarta-feira, no Dragão Caixa, e que terminou com a vitória dos ‘azuis e brancos' por 30-27.

A nota oficial, assinada pelo presidente do FC Porto, Pinto Costa, lamentou os "tristes acontecimentos", acrescentando ainda que os cantos "não são próprios de pessoas de bem e do meio desportivo, cujo ambiente deve ser sempre de respeito e solidariedade ao adversário e não de propagação de ódio", conforme confirmou fonte oficial do FC Porto à agência Lusa.

A nota ainda diz ainda que o clube está à disposição da Chapecoense para a reestruturação do clube, afetado por um acidente de avião, no qual morreram 19 futebolistas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.