A sorte (veremos se será mesmo assim...) sorriu ao Dragão. O Lokomotiv de Moscovo, campeão da Rússia, era provavelmente o mais desejado adversário do pote 1 do sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões. Ladeado por gigantes como Real Madrid, Barcelona, Juventus ou Bayern Munique, a verdade é que a equipa moscovita será, na teoria, aquela que teria menos “peso” no pote “principal” do sorteio. E foi precisamente o conjunto russo que calhou em sorte à equipa comandada por Sérgio Conceição.

Depois de vencer o título de campeão 14 anos depois da última conquista, os comandados do histórico Yuriy Semin (foi o treinador do Lokomotiv nos únicos títulos do clube, em 2002, 2004 e no ano passado), o clube da capital russa reforçou-se cirurgicamente no mercado de verão.

O central alemão Howedes (que passou por Schalke 04 e Juventus), o médio polaco Krychowiak (ex-Paris Saint-Germain) e o avançado russo Smolov (ex-Krasnodar e autor de mais de 70 golos nas últimas três temporadas) foram as principais adições a um plantel já de si interessante, onde o português Manuel Fernandes é uma das principais (a principal?) figura e onde um tal de... Éder também faz parte do plantel (foi dele, de resto, o golo que deu o título ao Lokomotiv na temporada passada).

Apesar de tudo, os russos não começaram bem a época. Para além de ter perdido a Supertaça para o rival CSKA, venceram apenas dois dos primeiros cinco jogos do campeonato russo e estão atualmente no 5.º lugar da Liga, já a 7 pontos do Zenith São Petersburgo.

Veremos se o FC Porto conseguirá ultrapassar o frio russo e uma equipa que, para além dos já mencionados Éder e Manuel Fernandes, conta ainda com jogadores experientes como Rybus, Corluka ou Farfán.

Da Rússia seguimos para a Alemanha, para onde o FC Porto terá de se deslocar para defrontar o Schalke 04. O 2.º classificado da Bundesliga na temporada passada (a 21 pontos do campeão Bayern) “perdeu” os talentosos médios Leon Goretza (assinou pelo Bayern Munique) e Max Meyer (juntou-se ao Crystal Palace) saíram a custo zero, ao passo que o promissor defesa Thilo Kehrer foi contratado pelo Paris Saint-Germain a troco de 37 milhões de euros.

Contudo, não esteve “parado” no mercado, gastando mais 50 milhões de euros em jogadores como Sebastian Rudy (ex-Bayern Munique), Suat Serdar (ex-Mainz), Omar Mascarell (ex-Real Madrid), Hamza Mendyll (ex-Lille) e Salif Sané (ex-Hannovez). E recrutou ainda, a custo zero, Mark Uth (autor de 17 golos em 38 jogos pelo Hoffenheim, na temporada passada).

Apesar de ter iniciado o campeonato alemão com uma derrota (2-1, frente ao Wolfsburgo), a verdade é que o plantel do Schalke continua a impor respeito, com Naldo a Nastasic como patrões da defesa, o italo-alemão Caliguri a fazer todo o corredor direito e o ganês Baba (emprestado ao clube de Gelsenkirchen pelo Chelsea pelo 3.º ano consecutivo) a fazer o mesmo no lado esquerdo e os serviços de Embolo, Di Santo, Burgstaller, Konoplyanka e Bentaleb no ataque à baliza adversária.

Por último, mais um regresso. Para além de voltar à Alemanha (no ano passado o Leipzig foi um dos adversários do FC Porto na fase de grupos da Liga dos Campeões), os dragões voltam também à Turquia, onde vão defrontar o Galatasaray (na época transata o adversário turco era o Besiktas).

Treinados pelo mago turco Fatih Terim, o campeão turco mexeu pouco no plantel da época passada. É verdade que perdeu Bafetimbi Gomis para o Al-Hilal de Jorge Jesus (e o experiente avançado francês foi decisivo no título do gigante turco, apontando 32 golos em 40 jogos), mas isso não significa que tenha perdido a capacidade de fazer golos, como atestam os 10 golos apontados nos primeiros três jogos do campeonato turco.

O Galatasaray procurou reforçar-se sobretudo do meio-campo para a frente, promovendo o regresso, por empréstimo, de Badou Ndiaye (tinha sido vendido ao Stoke City por 16 milhões de euros em janeiro deste ano), contratando os turcos Emre Akbaba (médio, ex-Alanyaspor) e Mugdat Celik (avançado, ex-Akhisarspor) e garantindo ainda o empréstimo do jovem nigeriano Onyekuru, que chegou do Everton de Marco Silva e já apontou dois golos nos seus primeiros três jogos.

Todos estes jogadores vêm reforçar um plantel que já era forte e experiente. Muslera, Nagatomo, Mariano, Belhanda, Gumus e Feghouli são apenas alguns dos nomes que compõem a equipa turca e que prometem ser um osso duro de roer para o conjunto portista.

Por último, nota para o defesa-central Maicon e o médio Fernando, ex-jogadores do FC Porto, dois titulares indiscutíveis dos turcos. O central sagrou-se campeão português por três vezes, para além de ter conquistado duas Taças de Portugal e quatro Supertaças ao longo das sete épocas ao serviço dos azuis-e-brancos. Já Fernando juntou quatro campeonatos, três Taças de Portugal e cinco Supertaças ao seu currículo durante as seis temporadas passadas no clube portista. Ambos têm agora a oportunidade de voltar ao Dragão, uma casa que conhecem bem.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.