Por culpa da pandemia da covid-19, a eliminatória não terá adeptos e, face às restrições britânicas, os jogos não terão como palco o Dragão e Stamford Bridge, ainda que possam ser os golos ‘fora’ a decidir o duplo combate do Ramón Sánchez Pijzuán.

No local onde em 2002/03 ganharam a Taça UEFA, numa final com o Celtic decidida no prolongamento (3-2), os ‘dragões’ procuram repetir o feito de 2003/04, única época em que ultrapassaram os ‘quartos’ — em 1993/94 era uma fase de grupos para oito.

Pela frente, o conjunto comandado por Sérgio Conceição terá, porém, um Chelsea bem mais poderoso do que era o Lyon de há 17 anos, que o FC Porto quase ‘deixou por terra’ no Dragão, com um 2-0 selado por Deco e Ricardo Carvalho. Depois, empatou 2-2 fora.

Os ‘blues’ são quartos na Premier League, em lugar ‘Champions’, estão nas meias-finais da Taça de Inglaterra e só perderam um de 15 jogos desde a chegada do treinador alemão Thomas Tuchel, que na época passada conduziu o Paris Saint-Germain à final.

Ainda assim, e depois de 10 vitórias e quatro empates, com 17 golos marcados e escassos dois consentidos, a derrota veio com ‘estrondo’, em forma de um 2-5 sofrido no sábado na receção ao West Bromwich, num embate em que os londrinos ficaram reduzidos a 10 unidades logo aos 29 minutos, quando venciam (1-0).

Foi apenas o terceiro jogo na curta ‘era’ Tuchel em que o Chelsea sofreu golos: manteve a sua baliza a zero em 12, incluindo no duelo dos ‘oitavos’ com o Atlético de Madrid (1-0 em Budapeste e 2-0 em casa), com o Manchester United ou o Liverpool.

A tarefa dos ‘dragões’ perspetiva-se, assim, complicada e é agravada para o primeiro jogo pelo facto de Sérgio Conceição estar privado de dois titulares, sobretudo de Sérgio Oliveira, que decidiu a eliminatória com a Juventus com um ‘bis’ em Turim.

No jogo de Itália, o cartão amarelo que viu aos 97 minutos tira-o da primeira mão dos ‘quartos’, cenário idêntico ao de Taremi, que foi expulsou por acumulação de amarelos no mesmo jogo, aos 54, por pontapear a bola com o jogo parado.

Sem o médio internacional luso e o avançado iraniano, Sérgio Conceição poderá optar pelo sérvio Grujic para o meio-campo e por colocar na frente Luis Díaz, sem bem que um esquema com três centrais seja sempre uma possibilidade.

No fim de semana, e ao contrário do Chelsea, o FC Porto saiu vitorioso, mas só conseguiu bater em casa o Santa Clara, por 2-1, na 25.ª ronda da I Liga portuguesa, com um golo apontado aos 90+5 minutos, pelo espanhol Toni Martínez.

Os ‘dragões’ poderão, assim, apresentar-se mais motivados e estabilizados, perante um Chelsea que, depois do estrondoso 2-5 com o West Brom, poderá questionar-se se, afinal, sempre é a fortaleza defensiva que parecia ser desde a chegada de Tuchel.

O encontro entre o FC Porto e o Chelsea, da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, realiza-se na quarta-feira, pelas 21:00 locais (20:00 em Lisboa), não no Estádio do Dragão, mas no Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha.

O reduto do conjunto da Andaluzia, que caiu nos ‘oitavos’ perante o Borussia Dortmund, será igualmente o palco da segunda mão, marcada para 13 de abril, no mesmo horário.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.