Durante a madrugada, ainda segundo as mesmas fontes, houve 20 detidos que foram posteriormente libertados por agressões a agentes da autoridade e outros 24 que permanecem detidos.

Em consequência, houve quatro polícias feridos com golpes nos joelhos, traumatismos no rosto e ferimentos nas pernas.

Após a meia-noite de segunda-feira, os efetivos policiais destacados para a zona do 'obelisco' – tradicional centro de celebrações desportivas – tiveram que desalojar os adeptos do River Plate quando estes começaram a lançar pedras e outros objetos contra os agentes.

Segundo os relatos divulgados pela imprensa, após cinco horas de festejos, um grupo de adeptos violentos começaram a agredir outros e a agredir-se mutuamente, lançando objetos contra a polícia e contra os carros das cadeias de televisão, forçando as autoridades a recorrer à força para os desalojar.

Uma das ambulâncias dos serviços médicos de emergência foi destruída devido ao arremesso de pedras.

A Câmara de Buenos Aires estima os custos para reparação de todos os equipamentos públicos destruídos em 4,3 milhões de pesos (cerca de 107 mil euros).

“Os festejos foram tranquilos e pacíficos até à meia-noite, mas depois dessa hora surgiram grupos de desordeiros que deram início aos desmandos na avenida 9 de julho, junto ao Obelisco”, informou o vice-presidente da Câmara, Diego Santilli.

As autoridades policiais tomaram também medidas especiais de proteção nas zonas circundantes do estádio Monumental do River Plate e no bairro de Belgrano, a norte de Buenos Aires, onde se concentraram milhares de adeptos.

O River Plate conquistou no domingo, pela quarta vez, a Taça Libertadores em futebol, ao bater o Boca Juniors por 3-1, após prolongamento, na segunda mão da primeira final cem por cento argentina da prova, disputada no Santiago Bernabéu, em Madrid.

O encontro realizou-se na capital espanhola porque adeptos do River Plate atacaram o autocarro do Boca Juniors quando este se dirigia para o Monumental Nunez, a casa dos novos campeões sul-americanos, que deveria ter recebido a segunda mão a 24 de novembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.