A Madeira volta a estar na rota do circuito Extreme Sailing Series, uma das mais importantes competições da vela mundiais. Pelo segundo ano consecutivo, a baía do Funchal será palco da prova que se disputa entre 29 de junho a 2 de julho.

“Esta é mais uma oportunidade de afirmação para a ilha da Madeira, que o ano passado ficou colocada no mapa dos grandes eventos desportivos internacionais e reforçou o seu posicionamento estratégico, a sua competitividade e atratividade, junto de novos públicos, tendo por base uma comunicação renovada, cada vez mais aliada ao desporto e ao mar”, sublinhou Eduardo de Jesus secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura.

Recorde-se que no ano passado, em virtude da instabilidade política que se vivia na Turquia, nomeadamente em Istambul, o Funchal acolheu pela primeira vez uma etapa deste circuito mundial de vela. Para além dos elogios recebidos por parte da empresa detentora do circuito, a OC Sports, a realização da prova proporcionou uma notoriedade sem precedentes e um retorno mediático avaliado em 9,4 milhões de euros.

Para o Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura, o grande desafio que se coloca este ano passa por “superar as expetativas e o alcance de 2016”, conclui.

A apresentação do evento que decorreu Gare Marítima do Porto do Funchal contou, para além de Eduardo Jesus, com Andy Tourell, Diretor de Prova da OC e Sérgio de Jesus, Presidente da Associação Regional de Vela da Madeira, entre outras individualidades.

Para Tourell o regresso do circuito ao Funchal cumpre-se um dos objetivos de “promover a vela em novos mercados e audiências”, adiantou. Entre elogios à ilha da Madeira recordou que “em 2016 muitos de nós descobriram esta joia no meio do Atlântico”. Além disso, deixou expresso um desejo: “esperamos que as Extreme Sailing Series continuem a contribuir para que o arquipélago mantenha a liderança mundial nos destinos ilhas” acrescentou.

Catamarãs mais rápidos e leves em estreia na Madeira. E com equipa lusa

A etapa madeirense da Extreme Sailing Series apadrinhará a estreia dos Flying Phantoms, catamarãs super-velozes e leves (apenas 165 kg) desenhados por Martin Fisher, responsável pelos GC32s, e pela equipa da Groupama. “Pelo menos 16 barcos, para dois tripulantes, vão competir na baía do Funchal, incluindo uma equipa portuguesa formada por Hélder Basílio e José Caldeira. A inclusão desta versão de menor escala dos GC32 permite a descoberta de novos talentos e aumenta a oferta aos fãs, imprensa e parceiros”, sublinhou Andy Tourell.

Depois das passagens por Muscat (Omã) e Qingdao (China), o Funchal acolhe a terceira etapa da 11ª edição das Extreme Sailing Series. O circuito segue depois para Hamburgo (Alemanha), Cardiff (País de Gales), San Diego (EUA) e Los Cabos (México).

Land Rover BAR Academy, Alinghi, SAP Extreme Sailing Team, Oman Air, Red Bull Sailing Team e a NZ Sailing Team são as equipas em competição e que incluem velejadores olímpicos, campeões mundiais, vencedores da America’s Cup e lendas da volta ao mundo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.