De acordo com o TAS, ficou provado que Sun Yang, de 28 anos, destruiu com um martelo amostras de sangue e urina e não respeitou as credenciais de um agente de controlo antidoping, num incidente ocorrido em setembro de 2018.

Inicialmente, o nadador chinês foi punido apenas com uma advertência pela Federação Internacional de Natação, mas a Agência Mundial Antidopagem recorreu do castigo para o TAS.

Em declarações à agência chinesa Xinhua, Sun Yang considerou o castigo “injusto” e anunciou que vai recorrer, sendo o tribunal federal suíço a única instância possível para o fazer.

“Acredito firmemente na minha inocência. Vou fazer tudo para que o maior número possível de pessoas saiba a verdade”, disse o nadador.

A suspensão implica que o atleta, tricampeão olímpico e 11 vezes campeão mundial, vai falhar os Jogos Olímpicos Tóquio2020, mas mantém as medalhas de ouro conquistadas nos Mundiais de natação de Gwangju, em 2019, prova que decorreu já depois do incidente.

Sun Yang já tinha enfrentado uma suspensão de três meses em 2014, por ter acusado uma substância que era considerada estimulante.

Yang, o primeiro campeão olímpico chinês de sempre na natação, conquistou medalhas de ouro nos 400 e 1.500 metros livres, em Londres2012, e nos 200 metros livres, no Rio2016, além de 11 títulos mundiais, em 2011, 2013, 2015 e 2017 e 2019.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.