“Estou muito feliz por estar aqui. O Benfica é um clube muito grande, com grandes adeptos, um estádio muito bom e que, nos últimos anos, tem estado na Liga dos Campeões. É um clube fantástico”, disse o guarda-redes que nasceu em Estugarda e possui dupla nacionalidade, alemã e grega.

Vlachodimos revelou ter conversado com Kostas Mitroglou, ex-ponta de lança do Benfica, atualmente no Marselha, antes de aceitar o convite: “Falei com o Kostas [Mitroglou] e ele disse-me que o Benfica é um clube fantástico e que vou gostar de estar aqui.”

Depois de ter representado a seleção alemã que venceu o último Europeu de sub-21, tornou-se titular indiscutível nos gregos do Panathinaikos, nos quais esteve duas épocas e meia, em 2015/16 e 2017/18, para onde rumou em janeiro de 2016 depois de três jogos ao serviço do Estugarda, na ‘Bundesliga’.

Na temporada seguinte, consolidou a sua posição na equipa, tendo sido titular em 31 jogos, tal como na última época, em que alinhou em 29 partidas, quatro delas na Liga Europa, num total de 2.610 minutos, com exibições que lhe valeram o prémio de melhor guarda-redes da liga grega.

Vlachodimos torna-se, assim, o terceiro guarda-redes alemão a representar o Benfica, sucedendo a Robert Enke, que representou os ‘encarnados’ entre 1999 e 2002, e Hans-Jörg Butt, que realizou apenas sete jogos na época 2007/08.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.