Esta é a sétima edição do Mundial para cegos, que será disputado até 17 de julho nas instalações de um colégio privado em Madrid.

O futebol para cegos, desporto paralímpico desde 2004, é praticado em 85 países, segundo os dados da Federação Internacional de Desporto para Cegos.

Dentro do campo, o jogo é composto por duas equipas de cinco jogadores que correm atrás de uma bola com um sino dentro. Os jogadores recebem ainda indicações de técnicos e assistentes. Durante os jogos de 40 minutos, os espetadores têm de ficar em silêncio.

Os favoritos ao título mundial não diferem muito das seleções que participam no Mundial na Rússia: Brasil, atual bicampeão, Argentina e Espanha.

O Brasil, liderado pela estrela Jefinho, de 29 anos, venceu quatro dos seis Mundiais, além de ter conquistado todos os ouros paralímpicos da história.

"Acredito que o Brasil pode chegar muito longe, a nossa equipa está muito bem preparada", disse Jefinho à AFP.

Liderada pelo capitão Silvio Velo, o "Messi do futebol para cegos", de 47 anos, a Argentina tentará destronar o Brasil e conquistar o seu terceiro título mundial. Já a Espanha, duas vezes vice-campeã, sonha em erguer a taça pela primeira vez.

Seis países participam pela primeira vez na competição: Costa Rica, o primeiro representante da América Central, México, Rússia, Tailândia e Mali.

Composição dos grupos:

Grupo A: Espanha, Turquia, Marrocos, Tailândia.
Grupo B: Argentina, França, Colômbia, Irão.
Grupo C: China, Rússia, México, Coreia do Sul.
Grupo D: Brasil, Inglaterra, Costa Rica, Mali.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.