“Estou profundamente sentido com as muitas mensagens de apoio e incentivo que tenho recebido (…) em face disso, decidi candidatar-me a um novo mandato como presidente da FIA”, indicou, na sua página na rede social Twitter.

Jean Todt indicou ainda que, caso seja eleito, o britânico Graham Stoker permanecerá no cargo de presidente adjunto para o desporto, enquanto o neozelandês Brian Ginnons, atual presidente adjunto para a mobilidade, substituirá o norte-americano Nick Craw nas funções de presidente do Senado da organização.

Antigo piloto de ralis e antigo dirigente da Peugeot Sport e da escuderia Ferrari, da Fórmula 1, Jean Todt não tem ainda adversários na corrida à liderança da FIA, para o mandato 2017-2021.

Nas últimas eleições, o britânico David Ward, que dirigiu durante 12 anos a Fundação FIA, ainda anunciou a sua candidatura, mas desistiu antes do escrutínio.

Todt foi eleito pela primeira vez em 2009, batendo por 135 votos contra 49 o finlandês Ari Vatanen, antigo campeão do mundo de ralis.

O primeiro mandato do francês ficou marcado por uma campanha pela segurança rodoviária, tendo a nível desportivo sido decisivo para o regresso do campeonato do Mundo de resistência e pelo lançamento do projeto da Fórmula E.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.