“A minha relação com o presidente é a melhor e não podia ser melhor. Tudo o que fizemos em conjunto continuamos a fazer. Estamos envolvidos num projeto, não de um ano, mas de vários anos, independentemente do que possa acontecer. É essa a confiança que é dada pelo líder e fiquei muito satisfeito pelo que ele disse hoje [segunda-feira]”, começou por referir Jorge Jesus na antevisão à visita de sábado ao Marítimo.

Em entrevista à TSF, Bruno de Carvalho garantiu que Jorge Jesus continuará a ser o treinador do Sporting neste e num futuro mandato, caso vença as eleições de 4 de março.

“É completamente falso e absolutamente ridículo que eu tenha uma alternativa a Jorge Jesus. Quero manter Jorge Jesus e isso nada tem a ver com questões financeiras, ou não financeiras”, disse Bruno de Carvalho.

Para Jorge Jesus, o presidente do clube tem todo o direito de falar com os jogadores no balneário antes e depois dos jogos, uma vez que o técnico estava a cumprir castigo.

“A especulação que se fez em relação a essa situação… e estamos a falar depois do jogo e, como sabem, não podia estar presente nas redondezas do balneário. O presidente desabafou com os capitães de equipa e tem todo o direito de expor as suas ideias, porque o treinador não estava”, explicou.

Questionado sobre uma eventual integração de um treinador adjunto indicado pela direção, o técnico ‘leonino’ encarou com normalidade, salientando que já acontece em outras equipas.

“Isso é uma linha de orientação que o presidente tem para o programa eleitoral e não foge a nada daquilo que é normal. Nos outros clubes acontece o mesmo e isso é normal. Só o Sporting é que ainda não é existe”, argumentou.

Jesus diz que Sporting não está fora da corrida para o título

“O Sporting não está fora da corrida [para o título] e há muita coisa para ganhar. O primeiro lugar é o grande objetivo, que é difícil claro. Nunca será uma época para esquecer, mas para recordar”, começou por dizer Jorge Jesus.

Na antevisão do encontro da 18.ª jornada da I Liga diante do Marítimo, o técnico ‘leonino’ enumerou várias razões para que o jogo de sábado seja difícil.

“O jogo, como é obvio, vai ser difícil por algumas questões. Temos pontos em atraso, estamos numa situação que não podemos perder pontos e vamos jogar com uma equipa que na Madeira é forte. Com estas variantes o jogo vai ser complicado”, referiu.

Sobre as eliminações precoces da Taça de Portugal e da Taça da Liga, Jesus lamentou afirmou que é o principal responsável e que já teve fases menos boas no passado.

“Não é uma época falhada totalmente, mas vamos assumir responsabilidades e eu sou responsável número um. Dentro daquelas competições que eram importantes e que tínhamos que sair vencedores não conseguimos. Isto para mim não é normal, mas já tive ciclos menos bons”, justificou.

Para ultrapassar a crise de resultados, o treinador do Sporting refere que “confia plenamente nos jogadores”, sem esquecer que “é importante recuperar os atletas emocionalmente e com a ajuda dos adeptos”.

No sábado, o Sporting desloca-se à Madeira para defrontar o Marítimo, no Estádio dos Barreiros, pelas 18:15, em partida da 18ª jornada da I Liga, que será dirigida pelo árbitro João Pinheiro, da associação de futebol de Braga.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.