Questionado sobre o efeito que a audição dos jogadores no julgamento a decorrer no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, pode ter no seu trabalho enquanto treinador e nos próprios atletas, o técnico vincou que a presença nos treinos estará salvaguardada e que, por isso, não terá consequências no seio do grupo.

“Não influencia o meu trabalho, a única coisa que poderia influenciar era eles não estarem no treino e isso não vai acontecer. Já sei que não vamos ter nenhum jogador que não possa treinar porque tenha ido a tribunal, portanto, não vai haver esse problema. Se não pudessem treinar durante uma semana ia afetar, como podem treinar, não afeta nada”, explicou, à margem da antevisão ao jogo com o Gil Vicente, no domingo, para a 12ª jornada da I Liga.

Em 09 de dezembro serão ouvidos os primeiros jogadores: o guarda-redes Maximiano, o médio Wendell e o defesa Jeremy Mathieu. O médio e capitão Bruno Fernandes e o lateral Ristovsky serão ouvidos em 10 de dezembro, enquanto os médios argentinos Acuña e Battaglia vão ser inquiridos em 17 de dezembro e o defesa uruguaio Coates em 19 de dezembro.

Em 15 de maio do ano passado, durante o primeiro treino da equipa de futebol do Sporting, após a derrota na Madeira com o Marítimo, cerca de 40 adeptos ‘leoninos’ encapuzados invadiram a Academia do clube, em Alcochete, e agrediram vários jogadores, bem como o então treinador, Jorge Jesus, e outros membros da equipa técnica.

O atual líder da 'Juve Leo', Mustafá, o antigo presidente do Sporting Bruno de Carvalho e Bruno Jacinto, ex-oficial de ligação aos adeptos do clube, estão acusados, como autores morais, de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Os três arguidos respondem ainda por um crime de detenção de arma proibida agravado e Mustafá também por um crime de tráfico de estupefacientes.

Aos arguidos que participaram diretamente no ataque à academia, o Ministério Público imputa-lhes a coautoria de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Estes 41 arguidos vão responder ainda por dois crimes de dano com violência, por um crime de detenção de arma proibida agravado e por um crime de introdução em lugar vedado ao público.

Jorge Silas quer Sporting a "manter o nível exibicional" contra o Gil Vicente

O treinador do Sporting, Jorge Silas, realçou hoje a vontade de ver a equipa manter o nível da goleada (4-0) ao PSV, para a Liga Europa, na partida contra o Gil Vicente, da I Liga de futebol.

“O nosso grande desafio é conseguir manter o nível exibicional de quinta-feira. Queremos tentar manter o nível de jogo, que tem de vir acompanhado de golos. Acho que temos todas as condições para o conseguir e é esse o nosso foco”, afirmou o técnico ‘leonino’ na conferência de imprensa de antevisão do desafio da 12ª jornada.

Um dos aspetos de maior destaque no último encontro foi a coesão defensiva que o clube de Alvalade conseguiu demonstrar. Questionado sobre a melhoria dos índices defensivos – sem golos sofridos nos últimos três encontros -, Silas lembrou que os problemas que existiam não estavam concentrados na linha defensiva, mas sim no posicionamento coletivo.

“A nossa linha defensiva tem sido o nosso suporte, mas isso não quer dizer que se defenda bem. Defender bem é não consentir ocasiões de golo e neste jogo estivemos muito bem contra uma grande equipa. Tínhamos de melhorar e foi isso que fizemos. O importante para nós é sermos solidários como fomos”, frisou o técnico, considerando que a equipa “está mais madura” e com menos “vícios” no seu jogo.

Do outro lado vai estar o Gil Vicente, que ocupa apenas o 10.º lugar, com 13 pontos em 11 jogos, mas para quem o treinador dos leões reservou apenas elogios, sobretudo em relação ao seu homólogo, o experiente Vítor Oliveira.

“Espero uma equipa forte, eles são a quinta melhor equipa em casa. Fecham-se bem e saem também bem em contra-ataque. Têm um treinador que é uma das minhas referências no futebol nacional. Esteja ele onde estiver, será sempre um grande desafio. Esperamos dificuldades, mas somos o Sporting e queremos ganhar. Pode ser um jogo mais difícil do que o desafio com o PSV”, observou.

O onze do Sporting poderá voltar a sofrer alterações, com um eventual regresso do guarda-redes Renan, que já está disponível após falhar o duelo com os holandeses. No entanto, o central Coates e o extremo Jovane Cabral não vão estar disponíveis para o embate deste domingo em Barcelos.

Já sobre uma eventual saída do preponderante capitão Bruno Fernandes na reabertura do mercado de transferências, em janeiro, Jorge Silas foi transparente sobre a influência do médio na dinâmica do conjunto, mas garantiu que, se tal acontecer, serão encontradas soluções.

“Não ter o Bruno é sempre preocupante, mas teremos de procurar soluções, é para isso que aqui estamos. A preponderância que tem no nosso jogo está à vista de toda a gente. Sou um treinador que procura sempre soluções e, seguramente, vamos encontrar soluções”, finalizou.

O desafio da 12.ª jornada da I Liga de futebol entre o Sporting, quarto classificado, com 20 pontos, e o Gil Vicente, décimo, com 13, está marcado para este domingo, às 20:00, no Estádio Cidade de Barcelos.

(Notícia atualizada às 15:14)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.