O treinador do Benfica, que falava na conferência de imprensa de lançamento do jogo, em Lyon, reconhece que os ‘encarnados’ não podem perder mais pontos para uma campanha “à dimensão daquilo que é o historial do clube”.

“Numa competição tão curta, de quatro equipas, com seis jogos, quem perde os dois primeiros já não tem possibilidade de perder mais pontos. Temos essa ambição e essa exigência. O apuramento é o nosso objetivo desde o início da época. Queremos fazer uma Liga dos Campeões à dimensão daquilo que é o historial do clube – vamos fazer tudo para vencer o jogo”, garantiu o treinador do campeão nacional.

Sobre as escolhas para o ataque, uma situação alterada com a convocatória do espanhol Raul de Tomás, remete a definição para mais tarde.

Somente Raul de Tomas e Seferovic fizeram um treino pleno, enquanto que Vinícius e Chiquinho ainda a recuperar do último jogo, cumpriram 15 minutos de exercícios de finalização e dinâmica coletiva com a equipa.

“Ainda estamos a 24 horas do jogo e 48 horas depois daquilo que foi o último jogo (para a I Liga). Temos muitas situações para avaliar, mas, seguramente, os jogadores da frente, independentemente das quatro ou cinco soluções que estão aqui connosco, estão preparados para fazer aquilo que é a nossa estratégia”, limitou-se a dizer.

Relativamente ao Lyon, que o Benfica bateu na Luz por 2-1, com tentos de Rafa, que se lesionou nesse jogo, e Pizzi, espera um adversário novamente difícil e com grande pendor ofensivo, mesmo que apresente algumas alterações a nível tático.

“É verdade que se passaram alguns dias, alguns jogos, as equipas tiveram tempo para se preparar. Sentimos ligeiras alterações na dinâmica ofensiva do nosso adversário – tem jogado ultimamente com alas que procuram mais o jogo interior, posicionamento mais dentro do campo, ao contrário daquilo que foi o jogo no Estádio da Luz”, explicou.

De acordo com Bruno Lage, “o Lyon poderá apresentar-se em 4x3x3 ou 4x4x2, mas com dinâmicas muito semelhantes”.

“Espero um jogo muito competitivo, como esperava desde início todos os jogos deste grupo. Trata-se de um grupo muito equilibrado e competitivo. É um jogo em que temos de mostrar a nossa força do coletivo, foi isso que aconteceu no primeiro jogo e é isso que temos de fazer amanhã (terça-feira)”, disse ainda.

Para superar o desafio, o Benfica terá de ser “uma equipa coletiva, quer com bola quer sem bola”.

“Queremos vencer, é esse o nosso objetivo, a nossa ambição. Quer uma equipa quer outra, independentemente do sistema e do ‘onze’, tem uma ideia de jogo de procurar o golo”, reforçou o treinador português.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.