Leclerc terminou a qualificação para o GP da Rússia, 16.ª prova da temporada, com a melhor volta em 1.31,628 minutos, deixando o britânico Lewis Hamilton (Mercedes) na segunda posição, a 402 milésimos de segundo.

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) foi o terceiro mais rápido da sessão, a 425 milésimos de segundo do seu companheiro de equipa.

O holandês Max Verstappen (Red Bull) foi o quarto mais rápido da sessão, mas, devido a uma penalização por troca de motor, partirá da nona posição.

Leclerc tornou-se, assim, no primeiro piloto a conseguir quatro 'pole positions' consecutivas esta temporada, feito que um piloto da Ferrari não conseguia desde que o alemão Michael Schumacher o fez em 2000.

"É muito especial", disse Leclerc, que, no entanto, sublinhou que "ainda há muito para fazer".

Lewis Hamilton, por sua vez, mostrou-se bastante satisfeito por ter garantido um lugar na primeira linha da grelha, algo com que não contava.

"Eles [Ferrari] têm uma velocidade incrível nas retas. Definitivamente têm algo mais. Estão em 'modo jato'. Por isso, não esperava estar na primeira linha", frisou o campeão mundial, que parte para esta prova com 65 pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o seu companheiro de equipa, o finlandês Valtteri Bottas.

O dia ficou ainda marcado pelo anúncio de uma parceria entre a McLaren e a Mercedes para o fornecimento de motores a partir de 2021. A equipa britânica troca, assim, a Renault pelo construtor germânico.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.