Quando Giorgio Marchetti começou a saltear as bolas para preparar uma fornada de oito jogos de Liga dos Campeões, o Futebol Clube do Porto sabia que não teria vida fácil. O segundo lugar na fase de grupos deixava os Dragões condenados a um lote de sete equipas (Bayern de Munique, Real Madrid, Liverpool, Chelsea, Borussia Dortmund, Juventus e Paris Saint-Germain) nenhuma delas fácil, nenhuma delas acessível.

O sorteio confirmou a previsão quando decidiu que o estádio do Dragão seria palco para o regresso de Cristiano Ronaldo a Portugal.

FC Porto - Juventus está longe de ser o duelo mais intenso do futebol europeu, com as duas equipas a encontrarem-se apenas em cinco ocasiões em competições oficiais. Estatisticamente, os azuis e brancos têm poucos motivos para sorrir, uma vez que a equipa portuguesa o melhor que conseguiu 'manita' de jogos foi um empate caseiro sem golos num jogo da fase de grupos da 'Champions' da temporada 2001/02. Nos restantes encontros a Vechia Signora saiu sempre vencedora, o primeiro de todos numa final da Taça das Taças em 1984 (2-1), o último em 2017, num jogo a contar para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões que a formação italiana venceu por 1-0, já depois de ter vencido na primeira mão por 0-2.

No que diz respeito a Cristiano Ronaldo, o capitão da seleção nacional não tem os Dragões como principal presa, soma apenas um golo em cinco encontros, distribuídos entre as épocas em que envergou as cores do Sporting CP e Manchester United. No entanto, tal facto não deve ser minorado, uma vez que quem se lembra daquele golo sabe que o mesmo valeu a CR7 um prémio Púskas. Foi precisamente no único que jogo em que marcou ao FC Porto que Ronaldo conseguiu vencer a turma portuguesa. Nos restantes cinco encontros entre o avançado e a equipa atualmente treinada por Sérgio Conceição, somam-se três vitórias a favor dos azuis e dois empates.

Para além do encontro entre as duas grandes figuras lusitanas, o sorteio dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões ditou ainda uma final antecipada entre Paris Saint-Germain e FC Barcelona, um embate que traz à memória a remontada catalã de 2017 quando Lionel Messi e companhia viraram uma eliminatória aparentemente condenada, depois de uma derrota em Paris por 4-0, com uma vitória por 6-1 em Camp Nou.

O outro grande prato principal dos 'oitavos' será Atlético de Madrid - Chelsea. No caminho do sonho europeu de João Félix e equipa estará uma das equipas de quem se espera mais esta temporada depois do elevado investimento feito na equipa inglesa e que permitiu levar para Stamford Bridge nomes como Edouard Mendy, Hakim Ziyech, Timo Wegener ou Kai Havertz.

Nota ainda para os encontros entre Borussia Mönchengladbach - Manchester City e RB Leipzig - Liverpool pelo que as duas equipas alemãs já mostraram ser capazes de fazer na fase de grupos. Duas formações jovens e talentosas diante de dois gigantes europeus, sem nada a perder, podem vir a concretizar uma surpresa. O mesmo se aplica à eliminatória que vai colocar frente a frente Atalanta e Real Madrid, neste caso não só pelo que os italianos já mostraram ser capazes de fazer, mas sim pela inconsistência que os pupilos de Zidane têm demonstrado ao longo da época.

Para terminar, do 8 ao 80, o encontro entre Lazio e FC Bayern München parece ser o menos imprevisível do sorteio, com o favoritismo a recair sobre os atuais campeões europeus. Já o mais imprevisível será o Sevilla - Borussia Dortmund, em que qualquer uma das equipas terá capacidade para atingir a próxima fase.

Os jogos vão ocorrer a 16, 17, 23 ou 24 de fevereiro, no que diz respeito à primeira-mão, e a 9, 10, 16 ou 17 de março, no que concerne à segunda.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.