O Real começou a partida impondo o ritmo, chegando ao 2-0 muito rapidamente com golos de Borja Mayoral', aos 7 minutos, e Cristiano Ronaldo, aos 11'. Antes do intervalo, no entanto, os alemães ainda reduziram a desvantagem através dum oportuno golpe de cabeça do gabonês Pierre-Emerick Aubameyang, aos 43'.

No segundo tempo, o clube de Dortmund chegou ao empate, novamente por Aubameyang, aos 49', mas Lucas Vázquez garantiu a vitória do Real aos 80'.

Com o golo marcado nesta quarta-feira, Cristiano Ronaldo, o melhor marcador da história da Liga dos Campeões (114 golos), tornou-se o primeiro jogador a marcar em todas as seis jornadas da fase de grupos da competição.

O brasileiro Neymar, do PSG, que havia marcado nas cinco primeiras, teve a oportunidade de ser o primeiro jogador a realizar o feito, mas ficou em branco na terça-feira, durante a derrota do clube francês diante do Bayern de Munique (3-1).

A partida acabou por parecer um amigável de luxo para o Real Madrid e Borussia Dortmund, que chegaram à última jornada com as suas situações praticamente definidas.

O Real manteve-se na segunda posição com 13 pontos, menos 3 que o líder Tottenham, que na outra partida do grupo H, venceu o Apoel por 3-0, em Londres, com golos de Fernando Llorente, Son e N'Koudou.

Apesar da derrota, o Borussia Dortmund ruma à Liga Europa igualado em pontos (2) com o modesto Apoel, devido à diferença de golos.

Real começa forte

A temporada dececionante do Borussia, 6º classificado na Bundesliga com apenas 2 vitórias nas últimas 12 partidas, ganhou mais um capítulo negativo no primeiro tempo, diante de um Real Madrid já classificado e repleto de segundas escolhas.

A equipa alemã, que não consegue imprimir o seu ritmo de jogo e tem sofrido golos atrás de golos, voltou a apresentar os mesmos problemas no Santiago Bernabéu.

O Real Madrid, que também não atravessa um grande momento, ocupando apenas a 4ª posição do campeonato espanhol a 8 pontos do rival Barcelona, nem precisou de fazer um grande esforço para chegar a uma vantagem confortável nos minutos iniciais do jogo.

Aos 7', Cristiano Ronaldo recebeu no lado esquerdo do ataque e tocou para Isco na entrada da área. O médio não conseguiu dominar o esférico e a bola sobrou limpinha para Mayoral atirar a contar.

Mesmo desfalcado, sem jogadores importantes como Marcelo, Luka Modric, Toni Kroos, Karim Benzema e Gareth Bale, o Real contou sempre com a disponibilidade de Cristiano Ronaldo, e o astro voltou a fazer a diferença com um verdadeiro golaço aos 11 minutos. No lance, CR7 recebeu na entrada da área, fintou o marcador e armou um remate, forte e colocado no ângulo da baliza de Burki — que só teve hipótese de seguir a bola com os olhos.

Cabisbaixo em campo, o Dortmund só representava algum perigo à defesa madrilena em jogadas individuais dos seus maiores talentos, o médio norte-americano Christian Pulisic e o avançado Aubameyang. No entanto, os elementos mais recuados do clube espanhol deram sempre conta do recado — exceto num lance. Foi aos 43 minutos, quando Asensio parecia estar adormecido, numa condução de bola no meio-campo do Real, em que Schmelzer roubou com facilidade e cruzou de forma teleguiada para Aubameyang cabecear para fazer abanar as redes madrilenas.

Borussia reage, mas Real vence

O golo pareceu animar o Borussia, que deixou o marasmo no balneário na volta do intervalo para reagir na segunda parte. Assim que a bola voltou a rolar, os alemães pressionaram a saída de bola do Real e dificultaram a marcação, com rápidas trocas de passe.

Aos 49', Aubameyang voltou a fazer a diferença, desta vez com a preciosa ajuda do médio nipónico Kagawa. O japonês, à entrada da área, encontrou com um toque genial de calcanhar o companheiro gabonês, que rematou para a defesa de Keylor Navas. Na recarga, 'Auba' mostrou toda a sua categoria ao tirar do caminho o costa-riquenho, num chapelinho de alto gabarito. Estava feito o empate.

O que levou a que o jogo ficasse frouxo. As duas equipas, sem nada a perder ou ganhar, partiram para o ataque à procura de uma vitória que desse um pontapé na crise e potenciasse um crescendo de confiança para o que resta da temporada.

Foi então que depois das oportunidades desperdiçadas para os dois lados, a vitória acabou mesmo por sorrir ao Real. Aos 75', a defesa do Dortmund não conseguiu afastar o perigo e, depois de alguns trambolhões na área, a bola acabou por aparecer no espaço de Lucas Vázquez, que num remate nas orelhas da bola, quase sem querer, levou a que esta fosse (vagarosamente) beijar o ferro antes de balançar as redes alemãs.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.