A atleta liderou o concurso desde o início até ao fim, para vencer com a boa marca de 61,36 metros, mais de dois metros à frente da alemã Marike Steinacker.

A lançadora portuguesa abriu com 59,30 metros, a que a alemã respondeu com menos um centímetro. Liliana esperou pelo último lançamento para cimentar a liderança, com os expressivos 61,36 metros, enquanto a adversária não melhorou a marca.

"Sinto-me realizada. Esta competição traz uma pressão maior, pois por qualquer erro nosso pode pagar toda a equipa. Então, ao conseguir dar a maior pontuação, sinto-me realizada", disse no final a recordista nacional, que já tem mínimos para os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

A marca ficou a cerca de cinco metros do recorde nacional, mas "foi a possível": "Estive parada algum tempo, devido a uma contratura nas costas, estou a regressar com segurança", explicou a atleta lusa.

O resultado de Liliana Cá foi claramente o melhor da seleção nacional que está a competir em Chorzow, não tendo mais ninguém obtido lugar entre os três primeiros, nas 21 provas disputadas hoje.

A maior desilusão foi o sexto lugar de Patrícia Mamona, sexta colocada no triplo salto, que se apresentava como campeã europeia de pista coberta.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.